Gloria Grahame à luz de Annette Bening

JM4_1647.dng

AS ESTRELAS NÃO MORREM EM LIVERPOOL Paul McGuigan

Como devolver à memória coletiva uma das grandes atrizes da Hollywood clássica? A resposta está na extraordinária Annette Bening, que, com uma belíssima composição, representa neste filme o crepúsculo de Gloria Grahame.

É no seu corpo que tudo começa e acaba, como uma história que se conta por gestos e olhares. E esta é a história do último romance da atriz de Matar ou Não Matar, que, em 1981, se entregou aos braços do jovem ator Peter Turner (comovente Jamie Bell), numa angustiante despedida da vida, marcada por um cancro.

Realizado pelo escocês Paul McGuigan, a partir do livro homónimo de Turner, esta produção inglesa é uma terna homenagem à estrela americana, através do simples encontro de duas almas e de todo o passado que espreita, ora numa tela de cinema ora num diálogo. Como num título de Fritz Lang, ela é puro desejo humano.


Classificação:*** (Bom)

Brand Story

Tui

Últimas notícias

Mais popular

  • no dn.pt
  • Artes
Pub
Pub