Festival de Locarno 2018 abre a porta ao novo cinema português

Algum do mais recente cinema português, ainda em fase de pós-produção, estará em destaque em agosto no Festival de Cinema de Locarno, na Suíça, onde poderá "iniciar uma carreira internacional", foi hoje anunciado.

"Dos contemporâneos aos realizadores clássicos, o cinema português tem sido sempre aclamado pela excelência artística por parte da crítica, mas ao mesmo tempo tem cativado os distribuidores e os principais festivais internacionais", sublinhou hoje a diretora artística adjunta do festival, Nadia Dresti, em comunicado.

Assim, Portugal será o país em foco no programa "First Look" e nele serão exibidos entre cinco a sete filmes portugueses em fase de pós-produção, para uma audiência composta apenas por profissionais, entre programadores, exibidores, distribuidores e produtores.

Numa parceria em conjunto com o Instituto do Cinema e Audiovisual (ICA), o programa tem por objetivo garantir a finalização e a internacionalização dos filmes selecionados, e ainda não anunciados.

No mesmo comunicado, o presidente do ICA, Luís Chaby Vaz, diz-se confiante na repercussão que o programa "First Look" de Locarno deverá ter no cinema português.

O programa "First Look" terá um júri, composto por José Luis Rebordinos (do festival de San Sebastian, Espanha), Janet Pierson (do festival South by Soutwest, Estados Unidos) e Eva Sangiorgi (da mostra Viennale, Áustria), que atribuirá prémios em serviços de pós-produção e divulgação.

Locarno recorda que, ao longo da sua história de mais de 70 anos, exibiu e premiou o cinema de realizadores como José Álvaro Morais, João Pedro Rodrigues, Pedro Costa, João Botelho, Paulo Rocha, Joaquim Pinto e Manoel de Oliveira. A atriz Maria de Medeiros e o realizador Miguel Gomes já foram membros de júris.

O programa "First Look", que decorrerá de 03 a 05 de agosto, foi criado em 2011 e já deu destaque ao cinema mais recente dos países bálticos - Lituânia, Estónia e Letónia -, da Polónia, de Israel, do Brasil, do Chile, do México e da Colômbia.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Ricardo Paes Mamede

Legalização da canábis, um debate sóbrio 

O debate público em Portugal sobre a legalização da canábis é frequentemente tratado com displicência. Uns arrumam rapidamente o assunto como irrelevante; outros acusam os proponentes de usarem o tema como mera bandeira política. Tais atitudes fazem pouco sentido, por dois motivos. Primeiro, a discussão sobre o enquadramento legal da canábis está hoje em curso em vários pontos do mundo, não faltando bons motivos para tal. Segundo, Portugal tem bons motivos e está em boas condições para fazer esse caminho. Resta saber se há vontade.

Premium

nuno camarneiro

É Natal, é Natal

A criança puxa a mãe pela manga na direcção do corredor dos brinquedos. - Olha, mamã! Anda por aqui, anda! A mãe resiste. - Primeiro vamos ao pão, depois logo se vê... - Mas, oh, mamã! A senhora veste roupas cansadas e sapatos com gelhas e calos, as mãos são de empregada de limpeza ou operária, o rosto é um retrato de tristeza. Olho para o cesto das compras e vejo latas de atum, um quilo de arroz e dois pacotes de leite, tudo de marca branca. A menina deixa-se levar contrariada, os olhos fixados nas cores e nos brilhos que se afastam. - Depois vamos, não vamos, mamã? - Depois logo se vê, filhinha, depois logo se vê...