Evocando o drama da sida na década de 90

120 BATIMENTOS POR MINUTO Robin Campillo

Distinguido com o Grande Prémio do Festival e Cannes (o segundo na hierarquia do palmarés do certame), eis um filme que combate os clichés do militantismo, sem perder uma dimensão informativa tão concisa quanto emocionalmente envolvente.

Trata-se de evocar a ação do grupo ACT UP, em Paris, no começo da década de 1990 em jogo estava o acesso dos doentes de sida aos medicamentos que começavam a estar disponíveis, mas também o confronto com os mais diversos preconceitos que atingiam muitos desses pacientes, em especial os homossexuais.

Sem nunca simplificar o pano de fundo social e político, o filme de Robin Campillo (também coautor do argumento) sabe criar verdadeiras personagens, complexas e fascinantes, defendidas por alguns excelentes atores, com destaque para o argentino Nahuel Pérez Biscayart.

Classificação: *** bom

Ler mais

Exclusivos

Premium

nuno camarneiro

O Mourinho dos Mourinhos

"Neste país todos querem ser Camões mas ninguém quer ser zarolho", a frase é do Raul Solnado e vem a propósito do despedimento de José Mourinho. Durante os anos de glória todos queriam ser o Mourinho de qualquer coisa, numa busca rápida encontro o "Mourinho da dança", o "Mourinho da política", o "Mourinho da ciência" e até o "Mourinho do curling". Os líderes queriam ter a sua assertividade, os homens a sexyness grisalha e muitas mulheres queriam ter o Mourinho mesmo.