Estrela da música congolesa morre depois de colapsar em palco

Papa Wemba estava a atuar em Abidjan, na Costa do Marfim. Vídeos mostram-no a cair para trás sem que as bailarinas se apercebessem

Era um dos músicos africanos mais influentes: Papa Wemba, de nacionalidade congolesa, morreu aos 66 anos depois de colapsar em palco, avança a imprensa internacional.

Vídeos do concerto mostram Papa Wemba a cair para trás e ficar imóvel no chão, enquanto as bailarinas continuavam a dançar na parte da frente do palco em Abidjan, na Costa do Marfim. Só alguns segundos depois se apercebem de que o cantor, conhecido na cena da música africana desde 1969, colapsara.

A morte foi confirmada à emissora francesa France 24 pelo agente de Papa Wemba, cujo verdadeiro nome era Jules Shungu Webadio. Papa Wemba foi o inspirador de um movimento de culto, cujos membros seguidores, os Sapeurs, eram sobretudo jovens do sexo masculino que gastavam somas avultadas em roupas de estilistas, recorda a BBC.

Papa Wemba tinha sido condenado em França, em 2004, por auxílio à emigração ilegal, tendo passado três meses na prisão. Foi um dos nomes mais conhecidos do soukos, género musical também chamado de rumba africana, que surgiu no Congo nas décadas de 1930 e 1940 e veio a ganhar popularidade por todo o continente africano.

Exclusivos

Premium

Adriano Moreira

Navegantes da fé

Este livro de D. Ximenes Belo intitulado Missionários Transmontanos em Timor-Leste aparece numa época que me tem parecido de outono ocidental, com decadência das estruturas legais organizadas para tornar efetiva a governança do globalismo em face da ocidentalização do globo que os portugueses iniciaram, abrindo a época que os historiadores chamaram de Descobertas e em que os chamados navegantes da fé legaram o imperativo do "mundo único", isto é, sem guerras, e da "terra casa comum dos homens", hoje com expressão na ONU.