Escultura de Rodin arrematada pelo valor recorde de 20,4 milhões de dólares

Obra de 1901 em mármore branco foi vendida na Sotheby's de Nova Iorque.

"A Eterna Primavera", uma escultura em mármore de Auguste Rodin, foi arrematada na noite de segunda-feira por mais de 20 milhões de dólares, um recorde para o artista francês, num leilão de arte da Sotheby's, em Nova Iorque.

A escultura, em mármore branco, foi adjudicada por 20,41 milhões de dólares (19,91 milhões de euros), o dobro das expetativas iniciais, que estimavam o seu valor entre oito e 12 milhões.

"A Eterna Primavera" foi esculpida num único bloco de mármore entre 1901 e 1902. A obra, que mede 80 centímetros de comprimento e 66 de altura e pesa 154 quilogramas, constitui uma variante da escultura em mármore "O Beijo", exposta no Museu Rodin em Paris.

O anterior recorde para uma escultura de Rodin remonta a maio de 2008 (18,97 milhões de dólares).

A Sotheby's iniciou na segunda-feira os leilões de primavera, com obras de Paul Signac, René Magritte, Marc Chagall ou Claude Monet, entre outros.

O leilão de obras de arte moderna e impressionista em Nova Iorque prolonga-se até quinta-feira.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Líderes

A União Europeia e a crise dos três M. May, Macron e Merkel

Já lhe chamam a crise dos três M. May, Macron e Merkel, líderes das três grandes potências da UE, estão em apuros. E dos grandes. Numa altura em que, a poucos meses das eleições para o Parlamento Europeu, florescem populismos e nacionalismos de toda a espécie, pela Europa e não só, a primeira-ministra do Reino Unido, o presidente de França e a chanceler da Alemanha enfrentam crises internas que enfraquecem a sua liderança e, por arrastamento, o processo de integração da UE.