Escultura de Rodin arrematada pelo valor recorde de 20,4 milhões de dólares

Obra de 1901 em mármore branco foi vendida na Sotheby's de Nova Iorque.

"A Eterna Primavera", uma escultura em mármore de Auguste Rodin, foi arrematada na noite de segunda-feira por mais de 20 milhões de dólares, um recorde para o artista francês, num leilão de arte da Sotheby's, em Nova Iorque.

A escultura, em mármore branco, foi adjudicada por 20,41 milhões de dólares (19,91 milhões de euros), o dobro das expetativas iniciais, que estimavam o seu valor entre oito e 12 milhões.

"A Eterna Primavera" foi esculpida num único bloco de mármore entre 1901 e 1902. A obra, que mede 80 centímetros de comprimento e 66 de altura e pesa 154 quilogramas, constitui uma variante da escultura em mármore "O Beijo", exposta no Museu Rodin em Paris.

O anterior recorde para uma escultura de Rodin remonta a maio de 2008 (18,97 milhões de dólares).

A Sotheby's iniciou na segunda-feira os leilões de primavera, com obras de Paul Signac, René Magritte, Marc Chagall ou Claude Monet, entre outros.

O leilão de obras de arte moderna e impressionista em Nova Iorque prolonga-se até quinta-feira.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Nuno Artur Silva

Notícias da frente da guerra

Passaram cem anos do fim da Primeira Guerra Mundial. Foi a data do Armistício assinado entre os Aliados e o Império Alemão e do cessar-fogo na Frente Ocidental. As hostilidades continuaram ainda em outras regiões. Duas décadas depois, começava a Segunda Guerra Mundial, "um conflito militar global (...) Marcado por um número significativo de ataques contra civis, incluindo o Holocausto e a única vez em que armas nucleares foram utilizadas em combate, foi o conflito mais letal da história da humanidade, resultando entre 50 e mais de 70 milhões de mortes" (Wikipédia).