Em louvor dos gatos de Istambul

"Gatos", Ceyda Torun

Bengu, Deniz, Duman... São nomes de gatos de Istambul. São também nomes de algumas das personagens principais do documentário da cineasta turca Ceyda Torun. Uma visão mais ou menos pitoresca e anedótica? Nada disso.

O delicado humor que perpassa por muitas situações aqui descritas provém, afinal, de uma dinâmica existencial que cruza a errância dos animais com as formas de organização dos seres humanos.

Dito de outro modo: este é o retrato de um sistema ancestral de convivência entre uns e outros que, curiosamente, preserva a independência dos gatos - pertencem à agitação das ruas, mas são reconhecidos (e alimentados) pelos cidadãos. A agilidade da câmara consegue efeitos desconcertantes, por vezes fascinantes, porventura levando-nos a sentir o que será contemplar o mundo com olhos... de gato.

Classificação: *** (Bom)

Ler mais

Exclusivos

Premium

Anselmo Borges

Francisco ​​​​​​​em Pequim?

1. A perseguição aos cristãos foi particularmente feroz durante a Revolução Cultural no tempo de Mao. Mas a situação está a mudar de modo rápido e surpreendente. Desde 1976, com a morte de Mao, as igrejas começaram a reabrir e há quem pense que a China poderá tornar-se mais rapidamente do que se julgava não só a primeira potência económica mundial mas também o país com maior número de cristãos. "Segundo os meus cálculos, a China está destinada a tornar-se muito rapidamente o maior país cristão do mundo", disse Fenggang Yang, professor na Universidade de Purdue (Indiana, Estados Unidos) e autor do livro Religion in China. Survival and Revival under Communist Rule (Religião na China. Sobrevivência e Renascimento sob o Regime Comunista). Isso "vai acontecer em menos de uma geração. Não há muitas pessoas preparadas para esta mudança assombrosa".