Elton John vai transformar "O Diabo veste Prada" num musical

O músico foi o compositor dos sucessos da Broadway como "O Rei Leão" e "Aida"

O músico britânico Elton John divulgou hoje o seu regresso à Broadway com a adaptação musical do romance 'bestseller' e filme "O Diabo veste Prada".

Elton John encarregar-se-á da música e as letras ficarão a cargo de Paul Rudnick, um humorista que escreve frequentemente para a revista The New Yorker. "Imaginar 'O Diabo veste Prada' em teatro musical é super excitante", disse John num comunicado, que indica que o calendário da produção será anunciado mais tarde.

"Sou um grande fã quer do livro, quer do filme e um aficionado do mundo da moda", explicou o músico britânico, adiantando que está ansioso por começar o trabalho.

O romance "O Diabo veste Prada", de Lauren Weisberger, é inspirado na sua experiência como assistente da editora da revista Vogue Anna Wintour. O filme conta com as interpretações de Meryl Streep e Anne Hathaway.

Elton John foi o compositor dos sucessos da Broadway como "O Rei Leão" e "Aida".

O novo musical será produzido por Kevin McCollum, Fox Stage Productions e Rocket Entertainment.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Ricardo Paes Mamede

O populismo entre nós

O sucesso eleitoral de movimentos e líderes populistas conservadores um pouco por todo o mundo (EUA, Brasil, Filipinas, Turquia, Itália, França, Alemanha, etc.) suscita apreensão nos países que ainda não foram contagiados pelo vírus. Em Portugal vários grupúsculos e pequenos líderes tentam aproveitar o ar dos tempos, aspirando a tornar-se os Trumps, Bolsonaros ou Salvinis lusitanos. Até prova em contrário, estas imitações de baixa qualidade parecem condenadas ao fracasso. Isso não significa, porém, que o país esteja livre de populismos da mesma espécie. Os riscos, porém, vêm de outras paragens, a mais óbvia das quais já é antiga, mas perdura por boas e más razões - o populismo territorial.