Câmara do Porto aprova por unanimidade moção para "rever verbas e sistema"

A moção, consensualizada com 66 agentes culturais da cidade com vista a "rever as verbas e o sistema" do Programa de Apoio Sustentado 2018-2021 da Direção-Geral das Artes (DGArtes), foi aprovada na terça-feira

Na reunião camarária pública, todos os vereadores (sete da maioria do independente Rui Moreira, quatro do PS, um do PSD e uma da CDU) votaram a favor do documento assinado pelas 66 estruturas culturais que, na terça-feira, no teatro Rivoli, participaram na reunião convocada pelo presidente da Câmara Municipal do Porto para analisar os resultados daquele programa da DGArtes.

O presidente da Câmara do Porto, Rui Moreira, explicou ter optado por não assinar o documento subscrito pelas estruturas culturais para que o executivo assumisse hoje uma posição conjunta, acabando por conseguir unanimidade relativamente à reclamação de mais financiamento e às críticas sobre os critérios territoriais do programa, que "prejudicam invariavelmente o Norte".

Ler mais

Exclusivos

Premium

João Gobern

País com poetas

Há muito para elogiar nos que, sem perspectivas de lucro imediato, de retorno garantido, de negócio fácil, sabem aproveitar - e reciclar - o património acumulado noutras eras. Ora, numa fase em que a Poesia se reergue, muitas vezes por vias "alternativas", de esquecimentos e atropelos, merece inteiro destaque a iniciativa da editora Valentim de Carvalho, que decidiu regressar, em edições "revistas e aumentadas", ao seu magnífico espólio de gravações de poetas. Originalmente, na colecção publicada entre 1959 e 1975, o desafio era grande - cabia aos autores a responsabilidade de dizerem as suas próprias criações, acabando por personalizá-las ainda mais, injectando sangue próprio às palavras que já antes tinham posto ao nosso dispor.