Del Toro, Clooney e Ai Weiwei na competição do festival de cinema de Veneza

Filmes de Ai Weiwei, Guillermo Del Toro, George Clooney e Alexander Payne integram a competição do Festival de Cinema de Veneza, que começa 30 de agosto em Itália e cuja programação foi hoje anunciada em Roma.

A abertura da 74.ª mostra de cinema ficará por conta de "Downsizing", sátira de Alexander Payne protagonizada por Matt Damon e que integra a competição oficial pelo Leão de Ouro.

A competição anunciada pelo diretor executivo, Alberto Barbera, incluirá os documentários "Human Flow", de Ai Weiwei, sobre a crise global dos refugiados, e "Ex-libris - The New York Public Library", de Frederick Wiseman, a fantasia "The shape of water", de Guillermo del Toro, e "Suburbicon", de George Clooney, escrito com os irmãos Coen e no qual entra também Matt Damon.

Da lista oficial fazem parte também filmes que são potenciais candidatos aos Óscares, sublinha a publicação The Hollywood Reporter, como "Mother", de Darren Aronofsky, "The Leisure Seeker", primeiro filme americano de Paolo Virzì, e "Mektoub, My Love: Canto Uno", de Abdellatif Kechiche.

Fora de competição, Veneza acolherá "Zama", de Lucrecia Martel, "Victoria & Abdul", de Stephen Frears, e algumas produções Netflix, como a série italiana "Suburra", a série "Wormwood", do realizador Errol Morris, e o filme "Our souls at night", de Ritesh Batra e com Robert Redford e Jane Fonda, que receberão este ano o Leão de Ouro de carreira.

Alberto Barbera anunciou ainda um novo concurso dedicado à realidade virtual, com o júri a ser presidido pelo realizador John Landis. "Não será o futuro do cinema, mas outra coisa. É um setor de experimentação", disse o diretor de Veneza na conferência de imprensa.

A secção "Horizontes" abrirá com "Nico 1988", de Susanna Nicchiarelli, sobre a modelo e cantora Nico, que integrou os Velvet Underground e foi musa de Andy Warhol.

O 74.º festival de cinema de Veneza decorrerá de 30 de agosto a 09 de setembro.

O júri da competição oficial será presidido pela atriz Annette Bening.

Exclusivos

Premium

Leonídio Paulo Ferreira

Nuclear: quem tem, quem deixou de ter e quem quer

Guerrilha comunista na Grécia, bloqueio soviético de Berlim Ocidental ou Guerra da Coreia são alguns dos acontecimentos possíveis para datar o início da Guerra Fria, que alguns até fazem remontar à partilha da Europa em esferas de influência por Churchill e Estaline ainda o nazismo não tinha sido derrotado. Mas talvez 29 de agosto de 1949, faz agora 70 anos, seja a melhor opção, afinal nesse dia a União Soviética fez explodir a sua primeira bomba atómica e o monopólio da arma pelos Estados Unidos desapareceu. Sim, foi o teste em Semipalatinsk que estabeleceu o tal equilíbrio do terror, primeiro atómico e depois nuclear, que obrigou as duas superpotências a desistirem de uma Guerra Quente.