David Cronenberg recebe prémio de carreira no Festival de Veneza

O realizador canadiano David Cronenberg vai receber o Leão de Ouro de carreira do Festival de Cinema de Veneza, em agosto em Itália, foi hoje anunciado.

Veneza pretende distinguir "um dos mais ousados e estimulantes realizadores de sempre, um incansável inovador de formas e linguagens" que no começo de carreira este relevado para "as margens do género horror", afirmou hoje o diretor do festival, Alberto Barbera.

A 75.ª edição do Festival de Veneza decorrerá de 29 de agosto a 8 de setembro.

David Cronenberg, 75 anos, é autor de filmes como Videodrome (1983), A mosca (1986), O festim nu (1991), Crash (1996), Uma história de violência (2005) e Cosmopolis (2012).

Em 2006 recebeu o prémio de carreira no Festival de Cannes, galardão que se junta a outras distinções, nomeadamente dos governos do Canadá e de França.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Ricardo Paes Mamede

A "taxa Robles" e a desqualificação do debate político

A proposta de criação de uma taxa sobre especulação imobiliária, anunciada pelo Bloco de Esquerda (BE) a 9 de setembro, animou os jornais, televisões e redes sociais durante vários dias. Agora que as atenções já se viraram para outras polémicas, vale a pena revistar o debate público sobre a "taxa Robles" e constatar o que ela nos diz sobre a desqualificação da disputa partidária em Portugal nos dias que correm.

Premium

Rosália Amorim

Crédito: teremos aprendido a lição?

Crédito para a habitação, crédito para o carro, crédito para as obras, crédito para as férias, crédito para tudo... Foi assim a vida de muitos portugueses antes da crise, a contrair crédito sobre crédito. Particulares e também os bancos (que facilitaram demais) ficaram com culpas no cartório. A pergunta que vale a pena fazer hoje é se, depois da crise e da intervenção da troika, a realidade terá mudado assim tanto? Parece que não. Hoje não é só o Estado que está sobre-endividado, mas são também os privados, quer as empresas quer os particulares.