David Bowie será homenageado nos Grammys

Depois de todas as homenagens, chegou a vez dos Grammys darem o seu destaque a David Bowie

Conhecidos os nomeados e alguns dos apresentadores, a organização veio agora revelar que será feito um (já esperado) tributo a David Bowie.

O cantor, que desde a sua morte já foi homenageado várias vezes, irá mais uma vez ser relembrado, desta vez na cerimónia dos Grammys, através de uma atuação de Lady Gaga e da atribuição de um prémio póstumo pela sua contribuição no mundo da música ao longo de toda a sua carreira.

A atuação estará já a ser preparada e segundo o produtor Ken Ehrlich será um momento "sem precedentes, carregado de tecnologia" que irá ser "uma verdadeira homenagem à pessoa que David era". A escolha recaiu sobre Lady Gaga por esta, desde sempre, eleger David Bowie como a sua maior referência a nível musical.

Apesar de toda a sua influência, David Bowie só tinha, até à data, recebido dois Grammys: um em 1985 pelo vídeo de Jazzin' for Blue Jean e outro, um prémio carreira, em 2006; assim, depois da sua morte, irá receber um segundo prémio carreira, mas desta vez de forma póstuma.

A 58ª edição da cerimónia dos Grammys realizar-se-á no dia 15 de fevereiro em Los Angeles e, para além deste tributo, irá contar com actuações de The Weeknd, Kendrick Lamar e Adele, entre outros.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Ricardo Paes Mamede

Legalização da canábis, um debate sóbrio 

O debate público em Portugal sobre a legalização da canábis é frequentemente tratado com displicência. Uns arrumam rapidamente o assunto como irrelevante; outros acusam os proponentes de usarem o tema como mera bandeira política. Tais atitudes fazem pouco sentido, por dois motivos. Primeiro, a discussão sobre o enquadramento legal da canábis está hoje em curso em vários pontos do mundo, não faltando bons motivos para tal. Segundo, Portugal tem bons motivos e está em boas condições para fazer esse caminho. Resta saber se há vontade.

Premium

nuno camarneiro

É Natal, é Natal

A criança puxa a mãe pela manga na direcção do corredor dos brinquedos. - Olha, mamã! Anda por aqui, anda! A mãe resiste. - Primeiro vamos ao pão, depois logo se vê... - Mas, oh, mamã! A senhora veste roupas cansadas e sapatos com gelhas e calos, as mãos são de empregada de limpeza ou operária, o rosto é um retrato de tristeza. Olho para o cesto das compras e vejo latas de atum, um quilo de arroz e dois pacotes de leite, tudo de marca branca. A menina deixa-se levar contrariada, os olhos fixados nas cores e nos brilhos que se afastam. - Depois vamos, não vamos, mamã? - Depois logo se vê, filhinha, depois logo se vê...