Christopher Plummer mal acabou de filmar e já é nomeado

Os Golden Globes já têm nomeados. A Forma da Água, The Post e Três Cartazes à Beira da Estrada são os mais nomeados. As surpresas são Christopher Plummer e a ausência de Linha Fantasma na lista dos melhores filmes.

A Forma da Água, fantasia de Guilhermo Del Toro, é o grande favorito para os Globos de Ouro de 2018. Este vencedor do Leão de Ouro de Veneza conseguiu arrecadar sete nomeações, incluindo melhor realizador e melhor filme. Del Toro torna-se assim o cineasta que parte com maior vantagem nesta corrida aos prémios de cinema. Logo atrás está Steven Spielberg e o seu The Post, sobre o escândalo do Watergate. The Post tem seis nomeações e outros prémios já arrecadados como melhor filme na National Board of Review, bem como Três Cartazes à Beira da Estrada, de Martin McDonagh, que, com as suas seis nomeações, continua na luta para ser o filme mais aclamado do ano.

As nomeações da imprensa estrangeira em Hollywood terão refreado o favoritismo de Lady Bird, de Greta Gerwig, que apesar de muito nomeado não conseguiu a chamada dobradinha: realização e melhor filme. A estreante Gerwig ficou de fora da categoria de realização, surpreendendo muita gente. Mas a maior surpresa foi Todo o Dinheiro do Mundo, de Sir Ridley Scott, que supostamente não está ainda pronto. Seja como for, conseguiu nomeações importantes, como melhor realizador, melhor atriz (Michelle Williams) e melhor ator secundário, Christopher Plummer, que acabou muito recentemente a sua semana e meia de rodagem para substituir Kevin Spacey. A Sony sempre disse que queria apostar nos Óscares e esta bonança nestes prémios pode querer dizer muita coisa. A presença de Plummer nas nomeações não deixa de ser espantosa e cheira a lobby do estúdio.

Se é verdade que excetuando Todo o Dinheiro do Mundo não tivemos aqui grandes surpresas, nas omissões podemos encontrar algumas perplexidades. Não deixa de ser relevante o esquecimento de Luca Guadagnino na categoria de melhor realizador em Chama-me pelo Teu Nome, drama que também não encontrou nomeação para o brilhante Michael Stuhlbarg, numa das mais sentidas interpretações do ano. A Fox igualmente ignorou uma campanha suficientemente forte para levar Woody Harrelson em Três Cartazes à Beira da Estrada à nomeação de melhor secundário, preferindo apostar no mais vistoso Sam Rockwell no mesmo filme.

Ainda nas omissões, de registar as ausências de Andrew Garfield em Vive; Paul Thomas Anderson em Linha Fantasma e Denis Villeneuve em Blade Runner 2049.

Entre os atores nomeados, Gary Oldman, James Franco e Willem Dafoe podem ser os mais fortes candidatos, enquanto nas atrizes Saiorse Ronan, Laurie Metcalf, Mary J. Blige, Sally Hawkins e Frances McDormand partem como favoritas para a cerimónia de 7 de janeiro.

Ler mais

Exclusivos

Ricardo Paes Mamede

DN+ Queremos mesmo pagar às pessoas para se reproduzirem?

De acordo com os dados do Banco Mundial, Portugal apresentava em 2016 a sexta taxa de fertilidade mais baixa do mundo. As previsões do INE apontam para que a população do país se reduza em mais de 2,5 milhões de habitantes até 2080, caso as tendências recentes se mantenham. Segundo os dados da OCDE, entre os países com economias mais avançadas Portugal é dos que gastam menos com políticas de apoio à família. Face a estes dados, a conclusão parece óbvia: é preciso que o Estado dê mais incentivos financeiros aos portugueses em idade reprodutiva para que tenham mais filhos.