"Cartas da Guerra" é o candidato de Portugal a uma nomeação para os Óscares e os Goya

O filme "Cartas da Guerra", de Ivo M. Ferreira, é o candidato de Portugal a uma nomeação para os prémios Óscares (Estados Unidos) e Goya (Espanha), anunciou hoje a Academia Portuguesa de Cinema.

A longa-metragem, uma história de amor que é também um retrato da Guerra Colonial, é submetida a uma nomeação para o Óscar de melhor filme estrangeiro, e é também a escolha de Portugal para os prémios espanhóis Goya, na categoria de melhor filme ibero-americano.

Cartas da Guerra teve estreia mundial em fevereiro, em Berlim, e chegou aos cinemas portugueses a 1 de setembro, tendo sido visto por cerca de 12 mil espectadores, segundo a produtora.

A partir da correspondência entre o escritor António Lobos Antunes e a primeira mulher, Maria José, quando esteve destacado nos anos 1970 em Angola, Ivo M. Ferreira deixa um retrato sobre "a maior tragédia portuguesa do século XX", como contou à agência Lusa.

Apesar de Ivo M. Ferreira ter feito pesquisa e investigação, o mote para o filme foi o livro "D'este viver aqui neste papel descripto", com as cartas organizadas pelas filhas de Lobo Antunes e da mulher. Médico de formação, na altura Lobo Antunes ainda não tinha trinta anos nem tinha publicado qualquer romance.

Cartas da guerra foi rodado em Portugal e em Angola, com mais de 40 atores, entre os quais Miguel Nunes, no papel de António, e Margarida Vila-Nova, que representa Maria José e é a leitora das cartas de amor, fio condutor de toda a narrativa do filme.

"Esta é a minha visão, pelos vistos bate certo com a de outras pessoas. Eu estou a falar de uma tragédia humana, dos portugueses, dos angolanos. Estou a falar destas vítimas que foram empurradas brutalmente para uma guerra estúpida e injusta e completamente fora de época", explicou o realizador.

Cartas da Guerra concorre ainda uma nomeação para os prémios da Academia Europeia de Cinema e, em 2017, terá estreia comercial garantida em vários países, entre os quais França, Brasil e Holanda.

A cerimónia dos Goya, os prémios da Academia de Cinema de Espanha, decorrerá a 4 de fevereiro, em Madrid, e a dos Óscares está marcada para 26 de fevereiro, em Los Angeles.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Opinião

Os irados e o PAN

A TVI fez uma reportagem sobre um grupo de nome IRA, Intervenção e Resgate Animal. Retirados alguns erros na peça, como, por exemplo, tomar por sério um vídeo claramente satírico, mostra-se que estamos perante uma organização de justiceiros. Basta, aliás, ir à página deste grupo - que tem 136 000 seguidores - no Facebook para ter a confirmação inequívoca de que é um grupo de gente que despreza a lei e as instituições democráticas e que decidiu fazer aquilo que acha que é justiça pelas suas próprias mãos.

Premium

Margarida Balseiro Lopes

Falta (transparência) de financiamento na ciência

No início de 2018 foi apresentado em Portugal um relatório da OCDE sobre Ensino Superior e a Ciência. No diagnóstico feito à situação portuguesa conclui-se que é imperativa a necessidade de reformar e reorganizar a Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT), de aumentar a sua capacidade de gestão estratégica e de afastar o risco de captura de financiamento por áreas ou grupos. Quase um ano depois, relativamente a estas medidas que se impunham, o governo nada fez.