Cantor checo hospitalizado devido a lesão: "Nem consigo andar"

"Vou atuar aconteça o que acontecer", escreveu Mikolas Josep na sua conta de Instagram. O cantor lesionou-se durante o primeiro ensaio no domingo.

O artista checo usou a rede social Instagram para explicar o seu atual estado de saúde. "Confirmo que me lesionei no ensaio de ontem e que a situação se agravou com o passar das horas. Nem consigo andar. Saí de um hospital e estou a caminho de outro".

A mensagem no Instagram publicada ontem à noite é acompanhada de uma imagem de Mikolas Josep numa maca de hospital.

A lesão aconteceu ontem de manhã quando o representante da República Checa, autor da canção Lie to Me fazia os seus primeiros ensaios no palco do Altice Arena para a primeira semifinal da Eurovisão, que acontece a 8 de maio.

A primeira entrada em cena foi abortada pelo artista, por sentir que a plataforma onde ia atuar não estava fixa. O artista repetiu a sua canção, um tema pop cheio de elementos coreográficos, e foi à segunda tentativa que se lesionou durante uma manobra mais complexa.

O habitual encontro com fãs e jornalistas que se segue aos ensaios ficou imediatamente comprometido. Apenas os elementos da delegação checa compareceram, explicando a situação.

A República Checa tem novo ensaio marcado para o dia 3.

Mikolas Josep, oriundo de uma família de músicos, segundo o seu currículo, é um cantor com provas dadas no seu país, que estudou música em Londres e foi modelo antes de se dedicar à música. Compõe, produz e também tem realizado os vídeos das suas canções.

O DN espera uma resposta do assessor de imprensa da República Checa para conhecer o estado de saúde do cantor hoje.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Anselmo Borges

Islamofobia e cristianofobia

1. Não há dúvida de que a visita do Papa Francisco aos Emirados Árabes Unidos de 3 a 5 deste mês constituiu uma visita para a história, como aqui procurei mostrar na semana passada. O próprio Francisco caracterizou a sua viagem como "uma nova página no diálogo entre cristianismo e islão". É preciso ler e estudar o "Documento sobre a fraternidade humana", então assinado por ele e pelo grande imã de Al-Azhar. Também foi a primeira vez que um Papa celebrou missa para 150 mil cristãos na Península Arábica, berço do islão, num espaço público.

Premium

Adriano Moreira

Uma ameaça à cidadania

A conquista ocidental, que com ela procurou ocidentalizar o mundo em que agora crescem os emergentes que parecem desenhar-lhe o outono, do modelo democrático-liberal, no qual a cidadania implica o dever de votar, escolhendo entre propostas claras a que lhe parece mais adequada para servir o interesse comum, nacional e internacional, tem sofrido fragilidades que vão para além da reforma do sistema porque vão no sentido de o substituir. Não há muitas décadas, a última foi a da lembrança que deixou rasto na Segunda Guerra Mundial, pelo que a ameaça regressa a várias latitudes.