Blake Lively, uma praia e um tubarão

ÁGUAS PERIGOSAS, Jaume Collet-Serra

Sejamos práticos: em tempos de crescente e medíocre formatação dos "filmes de Verão", para mais rodados com aquela estética agitada de telemóvel (que já nem sabe como mostrar um cenário...), é bom encontrar um filme que, pelo menos, tenha gosto em construir uma história, explorar as nuances do seu espaço, gerir as tensões do seu tempo.

Assim é este The Shallows que, além do mais, pode permitir a Blake Lively ascender a um patamar de evidência que bem merece (pelo menos, desde 2012, quando a vimos em Selvagens, sob a direcção de Oliver Stone).

Ela vive a aventura improvável, mas vibrante, de uma jovem que, numa praia paradisíaca, encontra o mais conflituoso dos companheiros: um tubarão. Vem à memória, claro, o brilhantíssimo Tubarão (1975), de Steven Spielberg, mas não é disso que se trata: estamos perante um exercício minimalista de "suspense" que faz lembrar a austeridade e a eficácia de algumas produções de Roger Corman ao longo da déacada de 60. Custou 17 milhões, dez vezes menos que Esquadrão Suicida, mas é vinte vezes mais interessante.

Classificação: *** Bom

Ler mais

Exclusivos

Premium

robótica

Quando os robôs ajudam a aprender Estudo do Meio e Matemática

Os robôs chegaram aos jardins-de-infância e salas de aula de todo o país. Seja no âmbito do projeto de robótica do Ministério da Educação, da iniciativa das autarquias ou de outros programas, já há dezenas de milhares de crianças a aprender os fundamentos básicos da programação e do pensamento computacional em Portugal.

Premium

Anselmo Borges

"Likai-vos" uns aos outros

Quem nunca assistiu, num restaurante, por exemplo, a esta cena de estátuas: o pai a dedar num smartphone, a mãe a dedar noutro smartphone e cada um dos filhos pequenos a fazer o mesmo, eventualmente até a mandar mensagens uns aos outros? É nisto que estamos... Por isso, fiquei muito contente quando, há dias, num jantar em casa de um casal amigo, reparei que, à mesa, está proibido o dedar, porque aí não há telemóvel; às refeições, os miúdos adolescentes falam e contam histórias e estórias, e desabafam, e os pais riem-se com eles, e vão dizendo o que pode ser sumamente útil para a vida de todos... Se há visitas de outros miúdos, são avisados... de que ali os telemóveis ficam à distância...