Entre a Mona Lisa e a Esfinge, Beyoncé e Jay-Z filmam videoclipe no Louvre

O casal lançou esta noite um álbum-surpresa, "This Is Love". No videoclipe do primeiro single, filmado no museu de Paris, aparecem junto à Mona Lisa e a outras obras de arte famosas.

Acordamos num domingo e temos um novo álbum de Beyoncé e Jay-Z para ouvir. Chama-se Everything is Love e foi um lançamento-supresa do casal mais poderoso do R'B, que se apresenta como The Carters e que está neste momento em plena digressão mundial. Foi, aliás, durante o concerto em Londres da On the Run Tour II que anunciaram a novidade, com as palavras a aparecerem no ecrã: "Album out now".

O álbum com nove temas está disponível no Tidal, a plataforma de Jay-Z, onde é possível ouvir ainda uma faixa de bónus, Salud. Mas há uma música que já está disponível no Youtube, Apeshit, com um videoclipe filmado no Museu do Louvre, em Paris, com realização de Ricky Saiz.

A filmagem aconteceu algures em maio passado no museu mais visitado do mundo, com mais de 15 mil visitantes por dia. Mas o casal conseguiu ter o museu só para si. Nas salas completamente vazias do Louvre, Beyonce e Jay Z são como figuras retiradas de uma pintura. Em poses de rei e rainha.

Há quatro anos, Beyoncé e Jay-Z estiveram no museu para uma visita particular. Na altura, ficou famosa a fotografia que Beyoncé tirou junto à estátua de Apolo e que publicou nas redes sociais a 11 de outubro de 2014. Terá sido aí que nasceu a ideia para este filme de seis minutos. "I can't believe we made it", canta Beyoncé. Sim, eles fizeram-no. Conseguiram. Fecharam o Louvre para filmar um videoclipe. Levaram o hip hop para aquelas salas solenes. São, eles próprios, obras de arte. Eles podem, querem e mandam. Jay-Z deixa-o bem claro quando canta: "I said no to the Super Bowl/ You need me, I don't need you/ Every night we in the endzone/ Tell the NFL we in stadiums too". E mais à frente: "Tell the Grammys fuck that 0 for 8 shit/ Have you ever seen the crowd goin' apeshit?" (numa referência ao facto de o seu último disco ter tido oito nomeações para os Grammy mas não ter ganho nenhum prémio).

(Numa outra música, Nice, Beyoncé também há de mostrar o seu desprezo pelos patrões da indústria musical: "Patiently waiting for my demise "cause my success can"t be quantified / If I gave two fucks about streaming numbers woulda put Lemonade up on Spotify.")

A visita ao Louvre começa, obviamente, na sala da Mona Lisa, de Leonardo Da Vinci (1519). Uma das imagens mais bonitas é das escadas do museu. No topo está a Vitória de Samotrácia, escultura que representa a deusa grega Nice e que foi descoberta pelo francês Charles Champoiseau em 1863 nas ruínas do santuário de Samotrácia, na Grécia. Com asas mas sem cabeça. Beyoncé está sentada junto à estátua, com um manto em ondas brancas como o mármore, a imitar as asas da deusa. E os bailarinos deitados nos degraus, como se também eles fossem esculturas.

A coreografia é do belga Sidi Larbi Cherkaoui. Também há bailarinos a dançar em frente à Coroação do Imperador Napoleão, do pintor neoclássico Jacques-Louis David (1894). O casal canta com a Grande Esfinge. Jay-Z aparece junto à pirâmide, no exterior do museu, e também a cantar com A Balsa de Medusa, de Théodore Géricault (1819), ao fundo. Há mais obras de arte por ali. É só estar atento. Por exemplo, um pormenor de Les ombres de Francesca da Rimini et de Paolo Malatesta apparaissent à Dante et à Virgil, de Ary Scheeffer (1855), mostra-nos dois amantes amaldiçoados e entrelaçados.

Apesar de já terem trabalhado juntos, esta é a primeira vez que Beyoncé e Jay-Z fazem um álbum inteiro em parceria. "Estamos a usar a nossa arte quase como uma terapia", explicou o rapper ao The New York Times numa entrevista no ano passado. Uma maneira de salvar o seu casamento. "Começámos a fazer música juntos." Este é o disco que se segue a 4:44 (dele) e Lemonade (dela). E com ele mostram que a crise foi ultrapassada. Everything Is Love - Tudo é amor.

Pharrel Williams, Migos, Dave Sitek (dos Tv on the Radio), Ty Dolla Sign são alguns dos músicos que colaboram em Everything is Love, um disco onde até os filhos do casal têm direito a participação especial.

Na capa, só para contrariar, não estão Beyoncé nem Jay-Z. Trata-se de uma imagem retirada do videoclipe, onde aparecem os bailarinos Jasmine Harper e Nicholas "Slick" Stewart, com a Mona Lisa ao fundo.

Este é o alinhamento do disco:

1. "Summer"
2. "Apes**t"
3. "Boss"
4. "Nice"
5. "713"
6. "Friends"
7. "Heard About Us"
8. "Black Effect"
9. "Lovehappy"

Ler mais

Exclusivos

Premium

Adriano Moreira

O relatório do Conselho de Segurança

A Carta das Nações Unidas estabelece uma distinção entre a força do poder e o poder da palavra, em que o primeiro tem visibilidade na organização e competências do Conselho de Segurança, que toma decisões obrigatórias, e o segundo na Assembleia Geral que sobretudo vota orientações. Tem acontecido, e ganhou visibilidade no ano findo, que o secretário-geral, como mais alto funcionário da ONU e intervenções nas reuniões de todos os Conselhos, é muitas vezes a única voz que exprime o pensamento da organização sobre as questões mundiais, a chamar as atenções dos jovens e organizações internacionais, públicas e privadas, para a necessidade de fortalecer ou impedir a debilidade das intervenções sustentadoras dos objetivos da ONU.