Atores e músicos reagem à morte de Chester Bennington

O vocalista dos Linkin Park terá cometido suicídio

Chester Bennington, da banda Linkin Park, foi encontrado morto em sua casa, em Palos Verdes, perto de Los Angeles, nesta quinta-feira. O músico, que era casado e deixa seis filhos, terá cometido suicídio. Ao longo da vida, Bennington teve problemas com drogas e álcool. No passado, revelou ter pensado algumas vezes em suicidar-se por não conseguir lidar com o facto de ter sido abusado sexualmente em criança por um homem.

Ao longo das horas que se seguiram à notícia da morte de Bennington têm-se sucedido as mensagens de condolências e de desalento de amigos e companheiros de profissão.

Imagine Dragons, banda norte-americana: "Sem palavra. De coração partido. Descansa em paz, Chester Bennington"

One Republic, banda norte-americana: "Isto parte-nos o coração. O suicídio é o demónio que anda na terra entre nós"

Vicky Cornell, viúva de Chris Cornell, líder dos Soundgarden que se suicidou em maio: "Quando eu pensava que o meu coração não podia ficar mais ferido"

Gabourey Sidibe, atriz, protagonista do filme Precious: "Descansa em paz, Chester Bennington. Isto é como um pontapé no peito. O My December ajudou-me muitas vezes. A depressão é um monstro".

Ashley Greene, atriz, protagonista da saga Crepúsculo: "Triste por saber do desaparecimento do talentoso Chester Benning dos Linkin Park. O meu coração está destroçado pela família e pelos filhos"

Ler mais

Exclusivos

Premium

Adriano Moreira

O relatório do Conselho de Segurança

A Carta das Nações Unidas estabelece uma distinção entre a força do poder e o poder da palavra, em que o primeiro tem visibilidade na organização e competências do Conselho de Segurança, que toma decisões obrigatórias, e o segundo na Assembleia Geral que sobretudo vota orientações. Tem acontecido, e ganhou visibilidade no ano findo, que o secretário-geral, como mais alto funcionário da ONU e intervenções nas reuniões de todos os Conselhos, é muitas vezes a única voz que exprime o pensamento da organização sobre as questões mundiais, a chamar as atenções dos jovens e organizações internacionais, públicas e privadas, para a necessidade de fortalecer ou impedir a debilidade das intervenções sustentadoras dos objetivos da ONU.