Vhils e a sua coleção vão ser vizinhos de Paula Rego em Cascais

O museu de arte urbana de Cascais já tem localização: fica mesmo ao lado do Centro Cultural, naquele que é designado de Bairro dos Museus. Albergará a coleção de Vhils

DN
Vhils, nome pelo qual se dá a conhecer Alexandre Farto© Carlos Manuel Martins/ Global Imagens

O nome oficial é Museu de Arte Urbana e Contemporânea de Cascais (MARCC) e a apresentação pública está marcada para quarta-feira, às 21.00, já no espaço que receberá em breve o museu dedicado à arte urbana, a partir da coleção privada de Vhils.

O MARCC reúne cerca de 250 obras da coleção do artista, que simbolicamente, deixará na quarta-feira uma dos seus trabalhos. A este acervo inicial junta-se, de acordo com um comunicado da câmara municipal de Cascais, um conjunto de obras que serão adquiridas pelo município.

Para a apresentação pública do novo espaço, "Vhils está a criar uma obra efémera numa parede construída propositadamente para esta apresentação pública (esta obra irá desaparecer quando entrarem as obras da colecção pessoal do artista)", refere a câmara municipal em comunicado.

O novo museu ocupará cerca de 1700 metros quadrados e fica por baixo da praça D. Diogo de Menezes, da autoria do arquiteto Miguel Arruda, fica ao lado do Centro Cultural de Cascais, a poucos metros da Casa das Histórias Paula Rego, do Museu do Mar e da recentemente recuperada Casa Sommer, sede da biblioteca municipal de Cascais, numa zona a que a autarquia chama de Bairro dos Museus (e para a qual foi criada bilhética conjunta).

O novo museu, revelado em janeiro deste ano, resulta de um acordo entre Vhils, nome por que é conhecido Alexandre Farto, e a câmara municipal de Cascais, liderada por Carlos Carreiras, que se recandidata ao cargo nas eleições do próximo domingo, dia 1.

À apresentação do MARCC, segue-se um concerto com DJ Ride.