Noite dos Museus juntou 50 mil pessoas

Só o Museu de Arte Antiga foi visitado por mais de 18 mil pessoas entre as 18:00 e a meia-noite de sábado

Lusa
© Sara Matos/Arquivo Global Imagens

Os museus e os palácios nacionais mobilizaram, durante a Noite Europeia dos Museus, no sábado passado, cerca de 50 mil pessoas, mais do que quadruplicando os números do ano passado, informou hoje a Direção-Geral do Património Cultural (DGPC).

Entre as 18:00 e a meia-noite de sábado, os museus e palácios nacionais, sob a tutela da DGPC, atingiram os 50 mil visitantes, o que traduz "um aumento de 350% relativamente a 2015", segundo o comunicado da DGPC, divulgado esta noite.

O Museu Nacional de Arte Antiga (MNAA), em Lisboa, por seu lado, recebeu 18.442 pessoas, entre as 18:00 e a meia-noite de sábado, de acordo com uma fonte do gabinete de comunicação do museu, contactada pela Lusa, o que representa mais de 36% do total de entradas dos museus e palácios nacionais, durante esse período.

A Noite dos Museus, no MNAA, festejou a compra do quadro de Domingos Sequeira (1768-1837) "A Adoração dos Magos", com uma fotografia conjunta dos que contribuíram para a campanha "Vamos pôr o Sequeira no Lugar Certo", que também tiveram o nome projetado na parede do museu, durante a festa que se realizou no jardim.

Ainda segundo a mesma fonte do gabinete de comunicação do MNAA, o quadro "A Adoração dos Magos" vai ser retirado do átrio de entrada do museu, para restauro, e regressará quando for reaberto o terceiro piso, que se encontra em obras de remodelação, até junho.

Esta foi primeira campanha em Portugal de angariação de fundos para a aquisição de uma obra de arte para um museu público, e contou com a contribuição de milhares de cidadãos, a título individual, instituições, empresas, fundações, escolas, juntas de freguesia e câmaras municipais.

Lançada no ano passado, a campanha "Vamos pôr o Sequeira no lugar certo" tinha como objetivo ajudar o museu a adquirir a obra de Domingos Sequeira, pintada em 1828, da qual o MNAA possui o desenho final e vários preparatórios.

A tela de Domingos Sequeira - considerada "insubstituível" pelo museu - faz parte da série "Palmela", com quatro pinturas religiosas, e o MNAA possui, na sua coleção, os desenhos preparatórios de estudo de todas elas, mas não os respetivos óleos.