A noite de gala do cinema europeu

Nesta 30ª edição dos European Film Awards, a Hungria e a Suécia são os países favoritos. Qual receberá o Óscar europeu para melhor filme? "O Quadrado", de Ruben Östlund, ou "Corpo e Alma", de Ildikó Enyedi? Palma de Ouro ou Urso de Ouro para decidir esta noite em Berlim

O cinema europeu de qualidade vive dias de vitalidade e esta noite em Berlim tem a sua maior festa.

É a 30ª atribuição dos European Film Awards (EFA), os Óscares do cinema europeu. Os filmes do Velho Continente com melhor reconhecimento crítico e palmarés nos festivais competem em várias categorias para os prestigiados prémios atribuídos pelos membros da Academia de Cinema Europeu. Uma edição que promete ser especial devido ao peso simbólico dos seus 30 anos e também pela crescente necessidade de promoção da arte cinematográfica europeia.

A questão, perene nestes prémios, passa pela forma como os filmes a concurso são promovidos. Uma vitória ajuda muito ao prestígio destes filmes já aclamados e, na maior parte dos casos, já com lançamento nas salas? Ninguém conseguirá dizer mas em países como a Holanda, a Alemanha ou a França, trata-se de uma cerimónia que pára um pouco o trânsito, com direito a transmissão televisiva em direto e tudo.

O que se sente e se comenta aqui nos corredores do centro de imprensa é que a Academia deveria conseguir um outro nível de competitividade entre os nomeados. Ao longo das outras edições, tem surgido uma imagem de reunião amigável de cineastas estabelecidos. Em Portugal, por exemplo, a cerimónia não é das mais mediáticas, apesar de ter direito a transmissão em diferido na RTP2. Sê-lo-ia mais se tivéssemos uma longa em competição ou um ator nomeado. Para isso, o nosso cinema tem de ir mais vezes aos palmarés dos grandes festivais e ganhar um apelo mais global.

A chairwoman da European Film Academy, a cineasta polaca Agnieszka Holland, veio a público falar da sua preocupação numa divisão da Europa: "Hoje os cineastas polacos inquietam-se se a Polónia vai ficar na Europa. Há verdadeiramente uma crise de unidade e democracia." A realizadora de Washington Square referiu também a necessidade de a comunidade europeia de cinema reagir quanto ao aflitivo caso dos assédios sexuais.

Estes EFA têm uma Palma de Ouro a lutar contra um Urso de Ouro: O Quadrado, de Ruben Östlund vs Corpo e Alma, de Ildikó Enyedi. O filme sueco venceu Cannes e apresenta-se como uma sátira ao mundo das artes, enquanto o húngaro triunfou em Berlim e funciona como uma meditação sobre o lugar dos sonhos nos desígnios românticos. Também com pedalada de favorito está 120 Batimentos por Minuto, de Robin Campillo, igualmente premiado em Cannes e acabado de estrear em Portugal.

O Outro Lado da Esperança, de Aki Kaurismäki; e Loveless, de Andrey Zvyagintsev, são os outros nomeados para melhor filme, mas não parecem tão consensuais.

Na corrida para melhor atriz, Alexandra Borbély, em Corpo e Alma, parece ser a aposta mais segura, mesmo estando a competir com uma superlativa Florence Pugh, em Lady McBeth, uma espantosa Paula Beer, a estrela de Frantz, de François Ozon e uma genial Juliette Binoche em O Meu Belo Sol Interior, de Claire Denis. Apenas de estranhar a nomeação de Isabelle Huppert, em Happy End, de Michael Haneke. A atriz francesa tem um papel quase secundário...

Na competição masculina, se não houver surpresas, o prémio deve ir parar a Nahuel Pérez Biscayart em 120 Batimentos por Minuto ou ao dinamarquês Claes Bang, de O Quadrado, não obstante a devastadora performance de Jean-Louis Trintignant.

A Academia Europeia tem preparado para esta gala um prémio de carreira para a atriz e realizadora Julie Delpy, conhecida pelo seu trabalho em filmes como Antes de Amanhecer ou Branco. O outro vencedor do prémio de carreira é o russo Aleksandr Sokurov.

Ao longo destes 30 anos, esta Academia pensada e presidida por Wim Wenders, nunca celebrou muito o cinema português. Nomes como Theo Angelopoulos, Lars Von Trier, Pedro Almodóvar, Isabelle Huppert, Jean-Pierre Bacri, Cristian Mungiu e os irmãos Dardenne foram alguns dos premiados nestas décadas. A gala terá lugar no Haus Der Berliner Festspielle e poderá ser vista a partir das 19.00 em streaming no site europeanfilmawards.eu.

Em Berlim

Ler mais

Exclusivos