51 anos depois Paul McCartney volta a tocar 'Hard Day's Night'

Tema deu nome ao terceiro álbum dos Beatles e ao primeiro filme da banda (de muito sucesso). Nova digressão começou nos EUA com tema que McCartney nunca tinha tocado a solo

Hard Day's Night é um dos temas marcantes da carreira dos Beatles, pois está ligado ao primeiro filme da banda, que tem o mesmo nome. Estreou em 1964 e foi aclamado pela crítica e pelos fãs. A música seguiu o exemplo de muitos dos outros temas dos Beatles - um sucesso - dando também nome ao terceiro álbum.

Composto por John Lennon e Paul McCartney, o tema nunca foi tocado pelo último desde que começou a carreira a solo. A última vez que McCartney tocou Hard Day's Night foi com os Beatles em Daly City, na Califórnia, a 31 de agosto de 1965, segundo o site da revista Rolling Stone. A longa espera terminou no arranque da digressão One On One, esta quarta-feira.

Hard Day's Night abriu o concerto que contou com 38 temas, não tendo sido o único "regresso" ao reportório de McCartney, pois também tocou pela primeira vez a solo Love Me Do.

A nova digressão de Paul McCartney (73 anos) começou em Fresno, na Califórnia e vai manter-se nos EUA e Canadá até ao início de maio. Das datas já confirmadas, na Europa apenas estão agendados, até ao momento, três concertos na Alemanha.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Opinião

Os irados e o PAN

A TVI fez uma reportagem sobre um grupo de nome IRA, Intervenção e Resgate Animal. Retirados alguns erros na peça, como, por exemplo, tomar por sério um vídeo claramente satírico, mostra-se que estamos perante uma organização de justiceiros. Basta, aliás, ir à página deste grupo - que tem 136 000 seguidores - no Facebook para ter a confirmação inequívoca de que é um grupo de gente que despreza a lei e as instituições democráticas e que decidiu fazer aquilo que acha que é justiça pelas suas próprias mãos.

Premium

Margarida Balseiro Lopes

Falta (transparência) de financiamento na ciência

No início de 2018 foi apresentado em Portugal um relatório da OCDE sobre Ensino Superior e a Ciência. No diagnóstico feito à situação portuguesa conclui-se que é imperativa a necessidade de reformar e reorganizar a Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT), de aumentar a sua capacidade de gestão estratégica e de afastar o risco de captura de financiamento por áreas ou grupos. Quase um ano depois, relativamente a estas medidas que se impunham, o governo nada fez.