25 Concertos para celebrar o 25 de Abril

Se celebrar o 42.º aniversário do 25 de Abril não é motivo suficiente para sair de casa, dê uma vista de olhos nas nestas 25 sugestões de concertos, e verá que ficar em casa deixará de ser opção.

Muitas música para as comemorações do 25 de Abril, um pouco por todo o País.

Norte

"Quis saber quem sou... O que faço aqui..." O homem que deu voz à senha da revolução, Paulo de Carvalho, estará na Lousada, no Auditório Municipal da cidade. Dono de temas como Mãe Negra, Nini dos meus Quinze Anos ou a incontornável E depois do Adeus, o cantor que venceu por duas vezes o Festival da Canção, começa a atuar às 21.30. Os bilhetes têm o preço de 8 euros.

De Lousada partimos até Ponte de Lima, onde estará outro grande marco da música portuguesa: Carlos Mendes. No dia em que se celebra a liberdade, o cantor levará a Festa da Vida, tema com que ganhou o Festival da Canção em 1972, até à vila portuguesa. O concerto, que terá o preço de 2 euros, acontece a partir das 22.00 no Teatro Diogo Bernardes.

Os Capitão Fausto também celebram o 25 de abril, mas começam as comemorações um dia antes, na noite de 24. A cidade de Viseu será a anfitriã para este grupo, e a galeria Carmo'81 o palco. Neste momento, a banda promove o seu álbum Capitão Fausto Têm os Dias Contados, que tem recebido o aplauso da crítica e do público. O concerto terá início às 23.00.

As irreverentes bandas portuguesas continuam em destaque no Norte, e no Porto, que pela primeira vez recebe as comemorações oficiais do 25 de abril, será a vez dos Quinta do Bill inundarem os Aliados, com o seu Filhos da Nação, na noite de 24 para 25, a partir das 22.00.

Já no dia da liberdade, e depois de desfiles, jogos tradicionais e outras atividades (onde estará presente o Primeiro-Ministro), entram em cena os Virgem Suta, a partir das 17.00, que trarão as suas Artes do Amor para conquistar o público portuense, sem nunca prometer que esses mesmo visitantes não sofram uma Ressaca no dia a seguir.

E para finalizar a ronda pelo norte, o único e inigualável, Zeca Afonso, ou pelo menos a homenagem possível a este cantor, autor e defensor da liberdade. Será na Casa das Artes de Arcos de Valdevez, no dia 24, que se ouvirá Ailé Ailé: Zeca Cantado e Contado, por Daniel Completo e José Fanha, um poeta e declamador que foi companheiro de Zeca. O tributo, que servirá para dar a conhecer as músicas e os poemas de José Manuel Cerqueira Afonso dos Santos, é gratuito e começa às 22.00.

Centro

O Ateneu, em Coimbra, propõe uma celebração alternativa, com leituras, recitais e música. A festa começa às 21.30 do dia 24, com uma oficina de teatro, seguida de Apaixonadamente Abril, um conjunto de leituras relacionadas com a revolução. Isto até chegar ao apogeu da meia-noite, em que se Queima o Fascismo. Depois é a vez de entrar a Bonifrates Cooperativa e A Escola da Noite para que nada se perca, até porque Tudo se perde onde se perde a paz. A noite acaba com os momentos musicais do Grupo de Etnografia e Folclore da Academia de Coimbra.

De Coimbra para o Fundão, onde durante todo o mês se tem celebrado o 25 de Abril. Mas será no dia 24 que a comemoração recebe o cantautor AP Braga e Primabril Ensemble, grupo criado especialmente para este evento, que leva até ao Fundão músicas de intervenção que uniram as multidões aquando do derrube da ditadura. O concerto, que tem inicio às 22.00 de domingo, na Praça do Município, é antecedido pelo concerto da Banda Jota.

E chegamos a Lisboa, a Casa da Revolução. São muitas as hipóteses que a capital dá para quem queira celebrar o dia dos cravos, começando pelo Chapitô que convidou Catarina Martins, Isabel Moreira e Rita Rato para fazerem parte de uma festa que terá performances dos alunos e a atuação dos Duralex, grupo composto por pessoas ligadas à Justiça e que vai surpreender com cantares interventivos. A festa começa a partir das 22.00 de domingo e irá pela noite dentro.

Numa onda mais indie, a Casa Independente acolhe o Indie Lisboa - Indie By Night e recebe os Junta de Animação Nacional (JAN). "Baseados" na Junta de Salvação Nacional (o grupo de militares que sustentou o Governo após o 25 de Abril e que desenvolveu os 3 D's: Desenvolvimento, Democratização, Descolonização), os JAN foram convidados para dar a conhecer os seus D's: Divertimento e Dança. A iniciativa, que acontece na noite de 24 de abril, é a partir das 23.00 e a entrada é gratuita.

Loures comemora o 25 de Abril com arte pública, teatro, desporto e Fausto. O músico português, autor de 12 discos, é outra figura incontornável do panorama musical português que marca presença nas comemorações deste dia histórico. O seu concerto, no Pavilhão Paz e Amizade, acontece no domingo às 22.00. A entrada é gratuita.

Ir de Loures para Carnide, é como ir de Fausto para Viviane, porque é mesmo ela quem dará cara (e voz, obviamente) às comemorações que acontecerão no Largo do Coreto. Se o 25 de Abril é bem português, a voz de Viviane invoca o fado, o jazz, a bossa-nova ou a canção francesa. Poderá ouvi-la no domingo, a partir das 21.30, e não precisa de bilhete, porque não se paga entrada.

25 de Abril Sempre! é o nome da próxima sugestão. Promovida pela associação Renovar a Mouraria, este evento é outro tributo a Zeca Afonso, desta vez na tentativa de dar um novo fôlego ao repertório do cantor. Para isso, vai juntar-se a marimba de Márcio Pinto ao violoncelo de Catarina Anacleto. Esta comemoração do 25 de abril, num ambiente mais "exótico", acontece no domingo, às 19.00. Apareça, a entrada é livre.

Atravessando o rio Tejo, Almada vai celebrar a data com dois concertos na noite de 24 para 25 de Abril: primeiro, sobem ao palco os UHF, a mítica banda de rock portuguesa, que levará consigo O Melhor de 300 Canções, o novo álbum que reúne os 35 grandes êxitos da banda e mais dois originais. O concerto dos UHF começa às 22.00 e abrirão espaço para os Diabo na Cruz, que após o espetáculo de pirotecnia, dão inicio à apresentação do seu álbum Diabo na Cruz. O evento é gratuito.

Já no Barreiro, é Jorge Palma e Capicua quem dão cartas. O Parque da Cidade vai recebê-los, no domingo às 22.00, primeiro ao cantor de Deixa-me Rir e depois à rapper de Vaiorken. O "passado" e o "futuro" juntos num espetáculo gratuito.

Acabamos a ronda pelo centro do país no Seixal, que também celebrará o 25 de Abril com dois nomes de peso: Carminho e D.A.M.A. A cantora subirá ao palco às 22.00. Tal como acontece em Almada, às 00.00 é a hora do espetáculo de pirotecnia e depois, às 00.30, é a vez da atuação dos D.A.M.A.

Sul

Em Odemira, no Largo Brito Pai, os D.A.M.A. atuam a partir das 19.00. Segue-se a voz doce de Mia Rose às 22.00 e os poderosos Amor Electro que chegam às 00.30 quando no calendário já for 25 de Abril. No dia 25, haverá ainda espaço para António Zambujo trazer até Odemira a sua Lambreta. O concerto do músico acontece às 22.00.

Em Loulé, Vitorino, cantor do Alentejo e dos seus costumes, é o "cabeça de cartaz" das comemorações do 25 de Abril. Realizado no Cineteatro de Loulé, o concerto começa às 18.30 do dia 25. Músicas icónicas como Menina que Estás à Janela, Ó Rama, Ó que linda Rama não vão faltar. O preço dos bilhetes varia entre 5 e 7 euros.

E terminamos este roteiro de 25 concertos no 25 de Abril com uma das terras mais importantes do tempo da revolução: Grândola, a terra da fraternidade. O mestre-de-cerimónias será Sérgio Godinho, que deixará o público com aquele Brilhozinho nos Olhos. O espetáculo começa às 23.00 do dia 24, junto ao Complexo Desportivo Municipal José Afonso. A entrada é gratuita.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Pedro Lains

"Gilets jaunes": se querem a globalização, alguma coisa tem de ser feita

Há muito que existe um problema no mundo ocidental que precisa de uma solução. A globalização e o desenvolvimento dos mercados internacionais trazem benefícios, mas esses benefícios tendem a ser distribuídos de forma desigual. Trata-se de um problema bem identificado, com soluções conhecidas, faltando apenas a vontade política para o enfrentar. Essa vontade está em franco desenvolvimento e esperemos que os recentes acontecimentos em França sejam mais uma contribuição importante.