10 curiosidades sobre os Óscares deste ano

"La La Land" é o filme com mais nomeações, mas há outros factos curiosos sobre os nomeados para a cerimónia de domingo à noite

1. O filme mais nomeado

Com 14 nomeações, La La Land: Melodia de Amor, de Damien Chazelle, é um dos filmes mais nomeados de sempre, a par de Eva, de Joseph L. Mankievics (1950), e Titanic, de James Cameron (1997). Titanic levou 11 estatutetas para casa, a mesma quantidade que Ben Hur, de William Wyler (1959) e O Senhor dos Anéis: O Regresso do Rei, de Peter Jackson (2003).

2. A atriz mais nomeada

Meryl Streep está nomeada pela 20ª vez para um Óscar pela sua interpretação em Florence Foster Jenkins. É a pessoa com mais nomeações de sempre para os prémios da Academia de Hollyood. No segundo lugar estão Katharine Hepburn e Jack Nicholson, ambos com 12 nomeações.

3. O presidente que vai aos Óscares

Espera-se uma noite com muitos discursos anti-Trump. Mas há um presidente americano que vai estar "presente" na cerimónia através de dois filmes: John F. Kennedy aparece, obviamente, em Jackie, o filme protagonizado por Natalie Portman sobre a viúva de Kennedy; e também aparece (embora só de passagem) em Elementos Secretos, o filme de Theodore Melfi que conta a história de um grupo de mulheres negras que trabalharam na NASA e que, em 1961, foram determinantes para a missão que pôs o astronauta John Glenn no espaço.

4. A Teoria do Big Bang também está nos Óscares

Por falar em Elementos Secretos, o filme conta com a participação de Jim Parsons, o ator que se tornou conhecido mundialmente como Sheldon, o nerd da série televisiva A Teoria do Big Bang. Aqui também interpreta o papel de um nerd, especialista da NASA, mas com menos graça. Parsons vai estar certamente na cerimónia dos Óscares com o resto do elenco de Elementos Secretos, que tem três nomeações, incluindo para Melhor Filme. Talvez lá encontre o seu companheiro de A Teoria do Big Bang, Simon Helberg, o ator que interpreta o papel do pianista que acompanha Meryl Streep em Florence Foster Jenkins.

5. O filme mais longo

Com 7 horas e 47 minutos, O.J. Made in America, de Ezra Edelman, é o filme mais longo alguma vez nomeado para um Óscar. Nomeado para Melhor Documentário, é um filme que conta a história da América, através da vida de O.J. Simpson, o futebolista que era uma celebridade e que foi acusado do assassínio da sua mulher.

6. O realizador mais novo

Se receber o Óscar de Melhor Realizador por La La Land, Damien Chazelle será o mais novo vencedor de sempre nessa categoria. No entanto, Chazelle, com 32 anos, não é o mais novo realizador nomeado. Essa honra vai para John Singleton, que tinha apenas 24 anos quando foi nomeado por A Malta do Bairro (1991). Singleton perdeu para Jonathan Demme, de O Silêncio dos Inocentes.

7. A folga mais rentável

A atriz Naomie Harris conseguiu a sua nomeação para o Óscar de Melhor Atriz Secundária pela sua participação em Moonlight com apenas três dias de trabalho. Harris estava a filmar Spectre, de James Bond, onde interpretava o papel de Moneypenny e tirou três dias de folga para ir fazer o papel de Paula, uma viciada em crack e mãe do protagonista no filme de Barry Jenkins. Foi do aeroporto diretamente para o set. E correu tudo bem.

8. Óscares menos brancos

Depois da polémica dos "oscars so white" no ano passado, este ano, pela primeira vez, há atores negros nomeados em todas as categorias de interpretação. Denzel Washington está nomeado para Melhor Ator por Vedações, Ruth Negga como Melhor Atriz por Loving. Viola Davis (Vedações), Victoria Spencer (Elementos Secretos) e Naomie Harris (Moonlight) estão na categoria de Melhor Atriz Secundária, enquanto Mahershala Ali concorre como Melhor Ator Secundário em Moonlight.

9. O mais derrotado

Kevin O'Connell, sonoplasta, tem o recorde que ninguém quer ter: é a pessoa que teve mais nomeações para os Óscares sem nunca ter ganho qualquer estatueta. Esteve nomeado pela primeira por Laços de Ternura, de James L. Brooks (1983). Este ano O'Connell está nomeado pela 21ª vez, desta vez pela mistura de som de O Herói de Hacksaw Ridge, de Mel Gibson.

10. O produtor famoso

Se Manchester By The Sea, de Kenneth Lonergan, ganhar o Óscar de Melhor Filme, é provável que Matt Damon seja um dos responsáveis a subir ao palco para receber o prémio. Damon esteve na origem do projeto, foi ele que quis fazer este filme e até pensou ser ele a realizá-lo mas depois acabou por passá-lo a um velho amigo, Kenneth Lonergan. Também deveria ser o protagonista mas, a certa altura, percebeu que não iria conseguir encaixar a rodagem deste filme na sua preenchida agenda e propôs, então, Casey Affleck para o papel. Mas sem o seu nome no cartaz estavam com dificuldades em convencer os financiadores de que o filme tinha de facto potencial. Então fizeram um acordo: foi dado a Matt Damon o "final cut". "Foi um compromisso, uma maneira de deixar toda a gente tranquila", explicou mais tarde Matt Damon à revista Variety, sublinhando que os financiadores não confiavam em Lonergan mas ele sempre confiou. Depois de ter estado nomeado para o Óscar de Melhor Ator, de Ator Secundário e de Argumento, Matt Damon é agora produtor candidato ao Óscar de Melhor Filme.

Ler mais

Exclusivos