10 artistas contemporâneos deixam a sua marca no Parque da Pena

Artistas nacionais e internacionais de arte contemporânea juntam-se numa exposição no histórico Parque da Pena, em Sintra.

Dez artistas nacionais e internacionais podem ser vistos a partir de amanhã, e até 25 de maio de 2017, numa exposição site specific no Parque da Pena, Património Mundial da UNESCO.

O projeto assenta num diálogo entre o homem e a natureza, e foi pensado para assinalar o bicentenário de D. Fernando II, casado com a rainha D. Maria e, como criador do Parque da Pena, a partir de 1838, o primeiro a estabelecer esta relação.

Point of View, com direção artística de Paulo Arraiano, junta artistas portugueses (Alberto Carneiro, Vhils, Gabriela Albergaria, João Paulo Serafim e o próprio Paulo Arraiano), do Brasil (António Bokel), do México ( Bosco Sodi), da Polónia ( NeSpoon), da Alemanha (Nils-Udo) e do Reino Unido (Stuart Frost. Os artistas chamados a participar neste projeto têm como denominador o facto de o seu trabalho já partir de uma reflexão sobre a relação do Homem com a Natureza.

A proposta do Parque da Pena pretende levar os visitantes do Parque da pena a explorarem o local através destas obras e dos seus vários "pontos de vista", em vários locais. "A relação entre Homem e Natureza é sentida, numa total simbiose, tal como o rei D. Fernando II pretendeu", refere a diretora do projeto, Sofia Barros, citada em comunicado pela Parques de Sintra. O nome da exposição Point of View advém da expressão francesa Point de Vue, "utilizada na arquitetura paisagista, e que se relaciona com o conceito de perspetiva."

As instalações dos artistas usam sobretudo materiais naturais existentes no próprio parque. Vão estar em exposição durante o próximo ano e não serão alvo de manutenção, "uma vez que o amadurecimento natural de cada peça faz parte do conceito da exposição", de acordo com o mesmo comunicado.

Exclusivos