Escritor Martin Gray morreu aos 93 anos

Martin Gray é sobretudo conhecido pela sua autobiografia "Em nome de todos os meus", redigida com o francês Max Gallo

O escritor franco-americano Martin Gray, sobrevivente do gueto de Varsóvia e autor do best-seller "Em nome de todos os meus", morreu na última noite em Ciney, na Bélgica, aos 93 anos.

"Ele foi encontrado morto na piscina da sua segunda residência em Ciney. O médico legista não registou nenhum elemento suspeito", precisou o porta-voz da procuradoria de Namur, confirmando a morte do escritor de origem judaica nascido em Varsóvia no dia 27 de abril de 1922.

Martin Gray é sobretudo conhecido pela sua autobiografia Em nome de todos os meus, redigida com o escritor e jornalista francês Max Gallo, no qual ele conta a sua experiência no gueto de Varsóvia e a sua evasão do campo de exterminação de Treblinka, antes de se juntar ao exército soviético em 1944.

O livro, editado em Portugal pela editora Bertrand, em 2009, conta também como Gray perdeu a sua família por duas vezes. Perde os pais e irmãos exterminados no gueto de Varsóvia durante a Segunda Guerra Mundial e em, 1970, a mulher e os quatro filhos morrem num incêndio.

"É um grande homem que desaparece, sobretudo pelo testemunho que trouxe da sua vida. É um exemplo para a juventude", salientou o presidente da Câmara de Ciney, Jean-Marie Cheffert. Martin Gray foi, em 2013, nomeado 'cidadão de honra' de Ciney, vila das Ardenas belgas na qual tinha uma residência secundária.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG