"Absolutamente um desbravador na canção americana"

Sérgio Godinho considera justa a atribuição do prémio a uma figura que não faz parte do meio literário habitual

O músico Sérgio Godinho elogiou hoje, em declarações à agência Lusa, a escolha do músico norte-americano Bob Dylan para Nobel da Literatura, porque tem sido "absolutamente um desbravador na canção americana".

"Foi uma grande surpresa, mas fico muito contente. Vem de uma tradição 'folk', do Woody Guthrie, depois começou a descobrir outros caminhos, passou pela canção política, pela canção vivencial, pelo surrealismo e é extremamente moderno", disse Sérgio Godinho.

O compositor português não considera Bob Dylan uma influência direta no seu percurso na música, mas explicou: "É uma influêncuiia indireta. Quando o oiço apetece-me compor e isso acontecia-me também, por exemplo, com Zeca Afonso".

Sérgio Godinho considerou justa a atribuição do prémio a uma figura que não faz parte do meio literário habitual. "Ele é um escritor de canções, influência para várias gerações de músicos e essa arte deve ser premiada", disse.

Bob Dylan, nome artístico de Robert Allen Zimmerman, nascido em Duluth, a 24 de maio de 1941, foi hoje distinguido com o Nobel da Literatura, considerado o mais importante dos prémios internacionais de literatura.

O músico foi distinguido por "ter criado novas expressões poéticas no âmbito da música norte-americana", justificou a secretária-geral da Academia Sueca, Sara Danius.

Figura incontornável da música popular norte-americana, é o primeiro compositor a receber o prestigiado prémio da literatura, com um valor monetário de 822 mil euros.

Em 2015, o prémio foi atribuído à autora bielorussa Svetlana Alexievich.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG