Dia de luto em Matosinhos por Vasco Graça Moura

A Câmara de Matosinhos decretou hoje que quarta-feira será dia de luto municipal pela morte do escritor Vasco Graça Moura, proposta votada por unanimidade na reunião do executivo, onde foi ainda aprovado um voto de pesar.

Vasco Graça Moura, que morreu ao fim da manhã de domingo em Lisboa, aos 72 anos, tinha sido agraciado dois dias antes, na cerimónia de comemoração do 25 de Abril em Matosinhos com a Medalha de Mérito Dourada e o Título de Cidadão Honorário.

Hoje, na reunião privada do executivo, foi aprovado por unanimidade o voto de pesar, tendo sido decretado dia de luto municipal pela morte de Vasco Graça Moura para quarta-feira.

"Para além de ser um vulto nacional, é um vulto que foi agraciado recentemente pela Câmara de Matosinhos pelo papel destacado que teve pela ligação que tem importante ao concelho. Era um homem do mundo mas enquanto cidadão do Porto teve uma relação intensa com Matosinhos e inclusive uma das suas últimas peças tinha a ver com o Senhor de Matosinhos", justificou aos jornalistas o presidente da câmara, Guilherme Pinto.

Um dos temas desta reunião extraordinária do executivo de Matosinhos foi a contratação de serviços de publicidade para o "Mar à Mesa" no Leixões Sport Clube -- no valor de 150 mil euros mais IVA - proposta que teve o voto contra do vereador do PSD, Pedro da Vinha Costa.

De acordo com Guilherme Pinto, "trata-se de contratualizar um serviço normal, de publicitação de Matosinhos nas camisolas do único clube que pode ter e tem transmissões televisivas".

"É uma questão de perceber que ninguém faz publicidade melhor do que nos eventos desportivos e nos eventos desportivos televisionados. Enquanto houver camisolas e houver possibilidade de haver transmissões televisivas que publicitem aquilo que nós queremos está o contrato em cima da mesa", explicou.

Em declarações à agência Lusa, Pedro da Vinha Costa explicou que votou contra a proposta de dar 150 mil euros à SAD do Leixões porque a preocupação que tem é com o Leixões clube.

"Fiz a proposta de que o contrato só fosse feito com uma condição de aquele dinheiro ser pago pela SAD ao Leixões clube pelas rendas em atraso. Isso não foi aceite porque, o que se pretende é ajudar a SAD em detrimento do clube e eu defendo exatamente o contrário", acrescentou o social-democrata.

Outro dos assuntos em discussão teve a ver com a criação da Associação Quadra -- para a implementação da Quadra-Design District em Matosinhos e permitir a candidatura, em 2015, a Cidade de Design, uma distinção da UNESCO -, proposta que foi aprovada por unanimidade.

Sobre esta questão, através da qual a câmara se "compromete adotar uma estratégia de requalificação do centro histórico da cidade de Matosinhos", o vereador do CDU José Pedro Rodrigues sublinhou, numa declaração à agência Lusa, "a importância da aproximação do centro histórico de Matosinhos à cidade do Porto", considerando "ser uma boa altura para recuperar as iniciativas e o esforço de entendimento para reativar a linha do elétrico tradicional que liga as marginais das duas cidades".

"Este é um dos desafios importantes no âmbito da mobilidade entre os dois municípios, que representa muito para Matosinhos, no contexto de recuperação da sua cidade e ainda mais com a entrada em funcionamento do terminal de cruzeiros", enfatizou.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG