Despedida por acusar o La Scala de incitar à anorexia

(Com vídeo) Teatro de Milão afasta uma das suas solistas que denunciou pressões para que as bailarinas controlassem o seu peso.

Mariafrancesca Garritano, uma das primeiras bailarinas do ballet do La Scala de Milão, foi despedida depois de ter denunciado a proliferação de casos de anorexia entre o corpo de bailarinas do célebre teatro italiano.

Veja aqui o vídeo:

O La Scala fundamentou a decisão pelo facto de ser "prejudicada a imagem" da instituição pelas declarações da sua bailarina.

Um porta-voz do teatro admitiu que, no passado, eram comuns as situações denunciadas pela bailarina, mas estas foram abandonadas. "A escola de dança tem hoje um curso de nutrição".

Garritano, de 33 anos, deu em dezembro uma entrevista ao The Observer em que afirmava que uma em cada cinco bailarinas suas conhecidas era anorética e, em consequência, não tinham condições para terem filhos.

No corpo de ballet do La Scala desde os 16 anos, Garritano recordou na entrevista que, "durante o treino, os meus professores chamavam-me 'mozzarella' e 'crepe chinês' diante de todos". A bailarina revelou que "deixei de comer ao ponto de ter deixado de ter o período durante ano e meio, tinha eu entre 16 e 17 anos. Cheguei a pesar 43 quilos".

Aquilo que Garritano passou, foi levado ao extremo por colegas suas, que "tiveram de ser levadas de urgência para o hospital e alimentadas por via intravenosa, enquanto outras sofreram depressões e estão sujeitas a acompanhamento clínico ainda hoje".

Na entrevista, a solista do La Scala reconheceu ter sido avisada pela direção do teatro para não abordar em público aquele problema que, segundo a própria, não é exclusiva da sala italiana, mas algo comum na dança.

Também comum é o facto das bailarinas fazerem operações para reduzirem o peito, o que definiu como uma loucura. "Primeiro que tudo sou uma mulher, só depois é que sou bailarina".

Uma das 14 solistas do corpo de ballet do teatro, Garritano enveredou pela dança para fugir a um futuro sombrio na sua região de origem, a Calábria, uma das mais pobres de Itália, quando a sua mãe morreu tinha ela 11 anos.

A sua experiência do mundo da dança clássica está retratado no seu livro "The Truth, Please, About Ballet", editado em inglês.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG