Depois da Arquitetura e do Design, governo lança o Ano do Cinema e Audiovisual

Depois da Arquitetura e do Design, a secretaria de Estado da Cultura lança na segunda-feira o Ano Português do Cinema e Audiovisual para promover o setor a nível internacional

O Ano Português do Cinema e Audiovisual decorrerá até setembro de 2016 em Portugal e no estrangeiro com "workshops, conferências e seminários em várias áreas", à semelhança do que a tutela já fez em torno da Arquitetura (2013/2014) e do Design (2014/2015), que termina em setembro.

A primeira iniciativa do novo ano temático é a atribuição, na segunda-feira, de uma medalha de mérito cultural a Haden Guest, diretor da Cinemateca da Universidade de Harvard, pelo "contributo para a visibilidade do cinema português nos Estados Unidos".

A tutela anunciou também esta sexta-feira que em 2016 haverá em Pequim uma Festa do Cinema Português, à semelhança do ciclo dedicado ao cinema chinês, em setembro em Lisboa.

Com esta iniciativa temática, a secretaria de Estado quer "dar a conhecer melhor o cinema nacional" e reforçar a presença em festivais e feiras do setor, como o MIPCOM, que acontecerá em outubro em Cannes (França) e que é considerado um dos maiores eventos de negócios ligado ao cinema e audiovisual.

Miguel Gomes, Pedro Costa, João Salaviza, Joaquim Pinto, João Pedro Rodrigues, João Rui Guerra da Mata, Regina Pessoa, João Canijo e João Viana são alguns dos realizadores que têm tido mais projeção e prémios internacionais, sobretudo em registo de festivais, ao longo dos últimos anos.

De acordo com dados estatísticos da Conta Satélite da Cultura - os mais recentes são de 2012 -, este setor é que o representa a maior fatia da exportação de produtos culturais, com cerca de 193 milhões de euros (de um total de 402 milhões de euros).

O Ano Português do Cinema e Audiovisual será desenvolvido pelo Instituto do Cinema e Audiovisual (ICA) em colaboração com a Academia Portuguesa de Cinema, e será apresentado na segunda-feira na Cinemateca, em Lisboa, pelo secretário de Estado da Cultura, Jorge Barreto Xavier.

O Ano Português do Design, que agora termina, teve um orçamento de 200 000 euros.

Exclusivos