De que são feitos os arquitetos? - perguntou ela

Ingrid von Kruse procurou saber de que matéria são feitos os que constroem muito do que habitamos. Retratou 28 e chamou-lhes Arquitetos Eminentes. Topografia a preto e branco está no MUDE.

Quando Ingrid von Kruse entrou no ateliê de Álvaro Siza Vieira encontrou "rolos de papel e cinzeiros cheios". Mas, "de repente, entra este homem muito pequeno. Não disse "sou o Álvaro Siza", e ele era tão pequeno e tão não extraordinário. Não pensei que pudesse ser ele". "Ingrid, sente-se", disse então Siza. Finalmente, a fotógrafa alemã percebeu de quem se tratava. Siza, de quem ela diz que, de tanto fumar, "é ele mesmo um cigarro". Achou-o extraordinário, "muito modesto", comoveu-se quando visitou o Museu de Serralves - da sua autoria - e notou que, no seu ateliê, as maquetes são feitas com pequenos pedaços de papel unidos por "pequenas agulhas": "Isto é muito invulgar!" E ele é "eminente", como os restantes arquitetos que Ingrid von Kruse retratou em Arquitetos Eminentes, projeto que nasceu livro em 2011 e agora está em exposição nas paredes e vitrinas do MUDE - Museu do Design e da Moda, em Lisboa.

Parece em tudo uma típica septuagenária alemã, os olhos claros, o sorriso pronto, a cordialidade do aperto de mão. E todavia, por detrás da sua Hasselblad - sempre, sempre analógica e com filme a preto e branco -, já retratou Pina Bausch, José Saramago, Leonard Bernstein, Mikhail Gorbachev, Federico Fellini ou Jacques Delors.

Leia mais na edição impressa ou no e-paper do DN

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG