24 novembro 2009 às 02h34

Vampiros de Stephenie Meyer somam e seguem

'Lua Nova', da saga de Stephenie Meyer, estreia--se amanhã em Portugal, e já rendeu em livros mais de 350 000 exemplares para a editora Gailivro.

Lusa

O filme Lua Nova, a partir de um romance de vampiros da escritora norte-americana Stephenie Meyer, estreia-se amanhã à noite em Portugal, numa altura em que a série literária ultrapassou os 350 mil exemplares em Portugal.

Lua Nova, realizado por Chris Weitz, é o segundo filme a ser adaptado da saga de quatro histórias que a autora Stephenie Meyer publicou desde 2005.

O ponto de partida da saga é a história de amor entre uma estudante, Bella Swan, e um vampiro, Edward Cullen, desenrolando-se o enredo num mundo dividido entre humanos, vampiros e lobisomens, e no qual se abordam a imortalidade, o sexo, a castidade e a morte.

Stephenie Meyer, 35 anos, publicou quatro romances - Crepúsculo, Lua Nova, Eclipse e Amanhecer -, tendo sido adaptados os dois primeiros ao cinema. O 3.º deverá estrear-se em 2010.

No cinema, a saga tem sido protagonizada pelos jovens actores Kristen Stewart e Robert Pattinson.

Lua Nova foi o filme mais visto entre sexta-feira e domingo, o fim-de-semana de estreia, nos EUA e Canadá, rendendo 93,4 milhões de euros. Nos restantes países, o filme somou 172,8 milhões de euros de receita de bilheteira.

Embora as estreias em Portugal sejam à 5.ª-feira, a Lusomundo antecipou-a para 4.ª-feira à noite, na sessão das 23.45, sem saber quais as salas que acolherão esta exibição nocturna.

A saga de Stephenie Meyer está publicada em Portugal pela editora Gailivro, que lançou este mês a 9.ª edição de Lua Nova. Pedro Reisinho, da Gailivro, explicou à Lusa que este 2.º volume de Stephenie Meyer teve já uma tiragem total de 90 mil exemplares, mas a saga dos quatro livros totaliza entre 350 mil e 400 mil unidades. E o primeiro romance, Crepúsculo, já ultrapassou os cem mil exemplares e vai na 12.ª edição.

"Esperamos boas vendas agora com a estreia do filme e com o Natal", disse o editor, referindo que a Gailivro está a reimprimir todos os livros para responder às expectativas do mercado.

Tópicos: Artes, Cinema