Téchiné e Yimou extra competição

O chinês Zhang Yimou e o francês André Téchiné estão em Cannes com dois filmes que mereciam estar na competição.

E a pergunta renova-se: porque é que The Search, retrato simplista da guerra da Chechénia, assinado por Michel Hazanavicius (O Artista), concorre para a Palma de Ouro, ao mesmo tempo que os novos trabalhos de Zhang Yimou (Coming Home) e André Téchiné (L"Homme qu"on Aimait Trop), incomparavelmente mais ricos e sugestivos, se ficam pelas "honras" extracompetição? Curiosamente, ambos lidam com heranças históricas muito concretas. No caso de Yimou, embora através de personagens fictícias, trata-se de revisitar os traumas do maoísmo e, em particular, da Revolução Cultural: a história centra-se numa mulher (Gong Li) que, atingida por um dramático processo de amnésia, não reconhece o marido quando este é, finalmente, libertado - para o cineasta chinês prevalece, ainda e sempre, a revalorização da mais genuína matriz melodramática.

LEIA MAIS NO E-PAPER DO DN

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG