Sinais da América profunda

'CULPA HUMANA ' 2003 de Robert Benton - Baseado no romance The Human Stain, de Philip Roth (publicado no ano 2000), o filme de Robert Benton sublinha, inevitavelmente, uma essencial componente erótica do livro.

Esta é, afinal, a história de uma ligação invulgar, no plano social recebida, no mínimo, com alguma desconfiança: de um lado, um professor universitário de idade avançada (Anthony Hopkins); do outro, uma mulher, não apenas muito mais nova, mas também com uma formação académica muito mais limitada.

Em todo o caso, nem Roth nem Benton estão a tratar um romance "impossível" (e convém lembrar que, além de co-argumentista de Bonnie e Clyde, Benton realizou filmes como Kramer contra Kramer , Um Lugar no Coração, Billy Bathgate e Vidas Simples). Em boa verdade, a perturbação desta história não pode ser dissociada daquilo que a vai minando. Ou seja: o confronto com sinais que vão emergindo do passado e que, pelo menos numa primeira fase, passam por algumas observações racistas do professor universitário. No limite, este é um filme sobre uma América profunda, dividida entre as suas memórias contraditórias e a crença militante numa inocência primordial.

Brilhantes, genuinamente inclassificáveis, Kidman e Hopkins têm, aqui, duas das suas composições mais subtis e também menos lembradas. Ficaram foram dos Óscares (aliás, o filme não obteve uma única nomeação) e, para muitos espectadores, Culpa Humana continua a ser um filme por descobrir.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG