Número de espectadores baixa 20% no primeiro trimestre

As salas de cinema tiveram 3.660.821 espectadores no primeiro trimestre do ano, uma descida de 21,3 por cento em relação ao mesmo período de 2010, e "quase menos um milhão de bilhetes vendidos", segundo dados oficiais revelados hoje.

A receita bruta de bilheteira registou valores na ordem dos 18,2 milhões de euros, "representando igualmente um decréscimo em relação a 2010 (menos 20,2 por cento)", referem os dados do Instituto do Cinema e do Audiovisual (ICA). Os mesmos dados revelam ainda que, "num universo de 90 exibidores cinematográficos, 13 geraram a quase totalidade das receitas brutas de bilheteira em Portugal (98,9 por cento)", destacando-se a Zon Lusomundo Cinemas, "com uma quota de mercado na ordem dos 55 por cento, tanto em termos de receita bruta como de espectadores". Na distribuição cinematográfica, "a Zon Lusomundo Audiovisuais é líder do sector, com uma quota de mercado (espetadores) de 45,9 por cento", de acordo com as estatísticas.

Entre Janeiro e Março de 2011 foram exibidos 236 filmes nas salas de cinema portuguesas. Foram estreadas comercialmente 74 longas-metragens, metade das quais com origem nos Estados Unidos e uma quota média de mercado (espectadores e receita bruta) de cerca de 74 por cento. Com origem europeia estrearam 25 filmes, que obtiveram uma quota de mercado de 5 por cento, dos quais 1 por cento diz respeito a filmes portugueses. As co-produções EUA/Europa obtiveram mais de 20 por cento da quota de mercado. O filme mais visto nos primeiros três meses de 2011 foi "O Turista", de Florian Henckel Von Donnersmarck, uma co-produção entre EUA e França, com cerca de 421 mil espetadores. Entre os filmes nacionais, o mais visto foi o documentário "Complexo - Universo Paralelo", de Mário Patrocínio, com 17.039 espetadores.

Segundo os mesmos dados, nos primeiros três meses do ano realizaram-se em Portugal 160.127 sessões de cinema em 148 recintos (535 ecrãs). O distrito de Lisboa contou com o maior número de sessões (58.569) e registou também o maior número de idas ao cinema (41,2 por cento). No outro extremo, o distrito de Portalegre registou o menor número de sessões (14) e também a menor percentagem de espetadores (0,03 por cento).

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG