Nova versão do filme "O Pátio das Cantigas" estreia-se a 30 de julho

O filme original, com mais de 70 anos, tinha António Silva, Vasco Santana e Maria das Neves no elenco.

Uma nova versão, atualizada, da comédia portuguesa "O pátio das cantigas", realizada por Leonel Vieira, tem estreia marcada para 30 de julho, revelou a produtora Stopline Films.

Nesta versão, mais de 70 anos depois do filme original dirigido por Francisco Ribeiro (Ribeirinho), participam Miguel Guilherme, César Mourão, Dânia Neto, Sara Matos, Anabela Moreira e Cristóvão Campos.

Este novo "O pátio das cantigas" faz parte de uma trilogia que Leonel Vieira produziu a partir de outros filmes que fizeram sucesso no cinema português: "O leão da Estrela" (1947), de Arhur Duarte, e "A Canção de Lisboa" (1933), de Cotinelli Telmo.

Rodado na Vila Berta, em Lisboa, mantendo o ambiente bairrista e popular do filme original, em "O pátio das cantigas" Miguel Guilherme é Evaristo e César Mourão é Narciso, que cobiçam a atenção de Dona Rosa, a atriz Dânia Neto. No filme de Ribeirinho, esses papéis foram interpretados por António Silva, Vasco Santana e Maria das Neves, respetivamente.

"O pátio das cantigas", no qual se diz a famosa frase "Ó Evaristo, tens cá disto?", é uma das comédias mais populares do cinema português, feita na chamada "época de ouro", das décadas de 1930 e 1940.

Foi nessa altura que se estrearam também "A Canção de Lisboa" (1933), "Aldeia da roupa branca" (1938), "O pai tirano" (1941) e "O Costa do Castelo" (1943), entre outros.

Leonel Vieira, produtor e realizador de cinema, televisão e publicidade, é autor de filmes como "A sombra dos abutres" (1998), "Zona J" (1998), "A selva" (2002) e "Arte de roubar" (2008).

Ler mais

Exclusivos

Premium

Daniel Deusdado

Estou a torcer por Rio apesar do teimoso Rui

Meu Deus, eu, de esquerda, e só me faltava esta: sofrer pelo PSD... É um problema que se agrava. Antigamente confrontava-me com a fria ministra das Finanças, Manuela Ferreira Leite, e agora vejo a clarividente e humana comentadora Manuela Ferreira Leite... Pacheco Pereira, um herói na cruzada anti-Sócrates, a voz mais clarividente sobre a tragédia da troika passista... tornou-se uma bússola! Quanto não desejei que Rangel tivesse ganho a Passos naquele congresso trágico para o país?!... Pudesse eu escolher para líder a seguir a Rio, apostava tudo em Moreira da Silva ou José Eduardo Martins... O PSD tomou conta dos meus pesadelos! Precisarei de ajuda...?

Premium

arménios na síria

Escapar à Síria para voltar à Arménia de onde os avós fugiram

Em 1915, no Império Otomano, tiveram início os acontecimentos que ficariam conhecidos como o genocídio arménio. Ainda hoje as duas nações continuam de costas voltadas, em grande parte porque a Turquia não reconhece que tenha havido uma matança sistemática. Muitas famílias procuraram então refúgio na Síria. Agora, devido à guerra civil que começou em 2011, os netos daqueles que fugiram voltam a deixar tudo para trás.