João Botelho quer filmar De Keersmaeker a dançar fado

O realizador João Botelho iniciou o projeto de um novo filme com a coreógrafa Anne Teresa de Keersmaeker inspirado no fado, género musical que a criadora pretende conhecer melhor enquanto estiver em Lisboa durante a Bienal Artista na Cidade.

Contactado pela agência Lusa, o cineasta relatou que este projeto surgiu de um convite do Festival Temps d"Images no contexto da Bienal, evento que tem início sexta-feira com a apresentação da primeira de 13 coreografias da criadora no Centro Cultural de Belém (CCB), em Lisboa.

São parceiros da 1.ª Bienal Artista na Cidade, além do CCB, a Empresa de Gestão de Equipamentos e Animação Cultural (EGEAC), o alkantara festival, a CNB, a Culturgest, o Festival Temps d'Images, a Fundação Calouste Gulbenkian, o Teatro Maria Matos e o Teatro São Luiz.

De Keersmaeker é apresentada, na sexta-feira, a coreografia "Fase, four movements to the music of Steve Reich" ("Fase, quatro andamentos para a música de Steve Reich") e, até 09 de fevereiro, seguir-se-ão as restantes previstas, "Rosas danst Rosas" (1983), "Elena's Aria" (1984) e "Bartók/Mikrokosmos" (1986), todas inseridas no projeto "Early Works" (Primeiras Obras).

"Hoje vou ao ensaio e amanhã vou ao CCB para ver o espetáculo. Eu adoro dança", comentou o realizador que, nos últimos meses, entre vários projetos, filmou bailado pela primeira vez.

João Botelho deverá filmar em setembro e outubro com a coreógrafa belga, que já mostrou interesse em conhecer melhor o fado, e apresentará o resultado do projeto em novembro para o Festival Temps d"Images, em Lisboa.

"Tive já um primeiro encontro com a coreógrafa para falar sobre o projeto e disse-me que quer dançar fado. Ainda não sei se o filme será com ela ou os bailarinos da companhia dela, ainda está tudo muito no início", disse o realizador, indicando que, nos próximos dias, irá levar De Keersmaeker a casas de fado em Lisboa.

Nos últimos dois meses, João Botelho esteve imerso numa maratona de projetos, criando três filmes, um deles também na área da dança, em resultado de uma encomenda da Companhia Nacional de Bailado (CNB), com base na peça musical de Ravel "La Valse", com coreografia de Paulo Ribeiro, e que envolveu ao todo 30 bailarinos da companhia nacional.

Esta película de vinte minutos foi filmada em Sintra e em Lisboa, entre outros espaços, no Conservatório Nacional, no Teatro Camões e no Teatro São Carlos, e será exibida ao público em maio no âmbito da programação da CNB.

Botelho também filmou em Miranda do Douro uma película de 50 minutos dedicada a Amadeu Ferreira, um dos maiores investigadores da língua mirandesa, que será exibido em março no Porto, na Casa da Música, em resultado de uma encomenda da Direcção Regional de Cultura do Norte.

Outro projeto acabado nos últimos meses foi um filme de 25 minutos para Guimarães Capital Europeia da Cultura 2012 e que se intitula "Bravo Som dos Tambores", que mostra uma muito antiga tradição da região: durante uma noite, toda a população toca tambores e bebe vinho, num ritual de iniciação de jovens à vida adulta que culmina no erguer de um pinheiro de 30 metros de altura, relatou à Lusa o realizador.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Anselmo Borges

"Likai-vos" uns aos outros

Quem nunca assistiu, num restaurante, por exemplo, a esta cena de estátuas: o pai a dedar num smartphone, a mãe a dedar noutro smartphone e cada um dos filhos pequenos a fazer o mesmo, eventualmente até a mandar mensagens uns aos outros? É nisto que estamos... Por isso, fiquei muito contente quando, há dias, num jantar em casa de um casal amigo, reparei que, à mesa, está proibido o dedar, porque aí não há telemóvel; às refeições, os miúdos adolescentes falam e contam histórias e estórias, e desabafam, e os pais riem-se com eles, e vão dizendo o que pode ser sumamente útil para a vida de todos... Se há visitas de outros miúdos, são avisados... de que ali os telemóveis ficam à distância...