"Durante o Fim" chega às salas de cinema

Realizado por João Trabulo, filme sobre universo artístico de Rui Chafes chega finalmente ao grande público

"Agora é o grade teste final", afirma João Trabulo sobre a estreia no circuito coemrcial de "Durante o Fim", filme que revela a concepção artística de Rui Chafes, as referências em torno das quais construiu o seu universo artístico e até o atelier do artista, espécie de espaço sagrado que resguarda o mais possível do olhar do grande público.

Seleccionado para o Festival Internacional de Turim, em Itália, em 2003, já foi apresentado noutros festivais, museus e galerias de arte, tanto em Portugal como no estrangeiro, com boas reacções por parte desse público. "Agora vamos ver como é que o grande público reage", refere o realizador João Trabulo, consciente que este "não é um filme fácil". Estreia hoje, em Lisboa, no Cinema City Classic Alvalade, em Lisboa. Em jeito de complemento à exposição que o artista apresenta até 21 de Agosto no Museu Colecção Berardo, também na capital.

Leia mais pormenores no e-paper do DN

Ler mais

Exclusivos

Premium

Daniel Deusdado

Estou a torcer por Rio apesar do teimoso Rui

Meu Deus, eu, de esquerda, e só me faltava esta: sofrer pelo PSD... É um problema que se agrava. Antigamente confrontava-me com a fria ministra das Finanças, Manuela Ferreira Leite, e agora vejo a clarividente e humana comentadora Manuela Ferreira Leite... Pacheco Pereira, um herói na cruzada anti-Sócrates, a voz mais clarividente sobre a tragédia da troika passista... tornou-se uma bússola! Quanto não desejei que Rangel tivesse ganho a Passos naquele congresso trágico para o país?!... Pudesse eu escolher para líder a seguir a Rio, apostava tudo em Moreira da Silva ou José Eduardo Martins... O PSD tomou conta dos meus pesadelos! Precisarei de ajuda...?

Premium

arménios na síria

Escapar à Síria para voltar à Arménia de onde os avós fugiram

Em 1915, no Império Otomano, tiveram início os acontecimentos que ficariam conhecidos como o genocídio arménio. Ainda hoje as duas nações continuam de costas voltadas, em grande parte porque a Turquia não reconhece que tenha havido uma matança sistemática. Muitas famílias procuraram então refúgio na Síria. Agora, devido à guerra civil que começou em 2011, os netos daqueles que fugiram voltam a deixar tudo para trás.