Columbia Tristar Warner encerra escritórios em Portugal

Segunda maior distribuidora de cinema a operar em Portugal fecha no dia 31 de Março. A crise do mercado português e rentabilidade insuficiente são as causas. '300: O Início de um Império' é o último filme a ser estreado pela empresa, no dia 6 de março. Catorze pessoas são despedidas.

A distribuidora cinematográfica Columbia Tristar Warner vai encerrar os seus escritórios em Portugal no dia 31 de Março, após uma presença de décadas no nosso país. Era a segunda maior distribuidora a operar no mercado, depois da Zon Lusomundo Audiovisuais.

Enquanto Columbia Pictures, a distribuidora encontrava-se a trabalhar em Portugal desde os anos 50. Enquanto joint venture sob a designação Columbia Tristar Warner Filmes de Portugal funciona desde 1972, sendo assim, desde longa data, a representante nacional destas majors norte-americanas. Nunca teve salas próprias, dedicando-se à distribuição mas não à exibição. Os catálogos das companhias que representa, nomeadamente Warner Bros e Sony Pictures Entertainment, irão passar para novas mãos na distribuição nacional, consumando-se assim a sua cisão no nosso país.

Este fecho, decidido em Los Angeles (EUA), vai causar o despedimento de 14 funcionários, cujos processos de rescisão de contratos e indemnização estão já a correr. Fonte da empresa disse ao DN: "Este encerramento veio apanhar as pessoas de surpresa e está relacionado com a quebra do mercado português de cinema nos últimos dois, três anos, sobretudo em 2012 e 2013. Os resultados da empresa caíram como consequência. E apesar de sermos rentáveis, de não apresentarmos resultados negativos, não temos, no entanto, os critérios de rentabilidade que nos são pedidos nos EUA. Ou seja, o mercado português já não tem dimensão suficiente para que tenhamos escritórios próprios cá."

A Columbia Tristar Warner de Portugal vai estrear mais 3 filmes até ao seu encerramento: 'A Winter's Tale: Uma História de Amor'. 'O Filme Lego', um animação em peças e figuras Lego, e '300: O Início de um Império', a continuação de '300', o último, no dia 6 de Março.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Adriano Moreira

O relatório do Conselho de Segurança

A Carta das Nações Unidas estabelece uma distinção entre a força do poder e o poder da palavra, em que o primeiro tem visibilidade na organização e competências do Conselho de Segurança, que toma decisões obrigatórias, e o segundo na Assembleia Geral que sobretudo vota orientações. Tem acontecido, e ganhou visibilidade no ano findo, que o secretário-geral, como mais alto funcionário da ONU e intervenções nas reuniões de todos os Conselhos, é muitas vezes a única voz que exprime o pensamento da organização sobre as questões mundiais, a chamar as atenções dos jovens e organizações internacionais, públicas e privadas, para a necessidade de fortalecer ou impedir a debilidade das intervenções sustentadoras dos objetivos da ONU.