CML apoia "O filme do desassossego", de João Botelho

O realizador João Botelho inicia depois do Verão a rodagem de um filme a partir de "O livro do desassossego", de Fernando Pessoa, e que contará com o apoio financeiro da Câmara Municipal de Lisboa.

O realizador assina hoje com o presidente da autaquia, António Costa, um protocolo que estipula o apoio financeiro de 200.000 euros à produção de um filme que "constitui uma demonstração de reconhecimento à vida e obra de Fernando Pessoa", lê-se no documento.

João Botelho regressa à obra pessoana quase trinta anos depois de ter feito "Conversa acabada", filme em torno de Fernando Pessoa e Mário de Sá-Carneiro, mas desta vez o realizador diz que tem pela frente "um filme muito difícil".

"É o mais arriscado da minha vida", disse João Botelho à agência Lusa em Março, quando estreou "A corte do norte".

"O livro do desassossego", assinado pelo semi-heterónimo Bernardo Soares, "é um puzzle aberto, são centenas de fragmentos e dá cinco mil filmes diferentes e eu vou fazer a minha versão", disse o realizador.

João Botelho diz que esta obra de Fernando Pessoa "é um livro fantástico, terrível, demente" e tem três indicações de carácter cinematográfico.

"Devem iluminar-se os sapatos das pessoas normais como se iluminam as caras dos santos. Fala sobre a distorsão do tempo que coincide com o cinema e a terceira é que `O livro do desassossego´ só existe lido em voz alta", elencou o cineasta.

O filme terá cerca de duas horas, será adaptado aos dias de hoje e contará com o actor Cláudio Silva como protagonista, além de pequenas participações de actores que integram habitualmente os filmes de Botelho.

Outro dos protagonistas será a própria cidade de Lisboa, que o realizador diz não ter ainda filmado como queria: "Estou aqui há trinta anos e que acho que é altura de filmar Lisboa, que ainda não filmei bem".

"O filme do desassossego" será produzido pela Ar de Filmes e conta com o apoio financeiro do Instituto do Cinema e Audiovisual.

João Botelho espera ainda conseguir apoios de Espanha, Itália, França e Brasil.

O protocolo, que será assinado hoje ao final da tarde na Casa Fernando Pessoa, em Lisboa, refere ainda que o filme estreará em 2010 no cinema São Jorge e que João Botelho rodará uma curta-metragem documental, intitulada "Os lugares de Pessoa", para ser utilizado pela autarquia em acções de promoção da capital.

No âmbito da realização do filme, João Botelho e promotora comprometem-se ainda a promover debates e exposições sobre Lisboa e Fernando Pessoa, a serem desenvolvidas em escolas, bibliotecas e universidades.

Ler mais

Exclusivos