Autópsia a Philip Seymour Hoffman realiza-se hoje

Segundo o site TMZ, o corpo do ator, de 46 anos, encontrado ontem morto na sua casa de Nova Iorque, de aparente overdose, será hoje autopsiado.

Segundo fonte policial citada pelo New York Times, o ator terá sido encontrado sem vida, de calções e T-shirt, com uma agulha espetada no braço. Junto ao corpo, terá sido encontrado também um envelope contendo heroína.

Os problemas de Philip Seymour Hoffman com as drogas eram conhecidos. Em 2012 terá tido uma recaída que o levou mesmo a uma clínica de reabilitação.

O ator, vencedor de um óscar pela sua interpretação do escritor Truman Capote no filme de 2005 Capote, estava a gravar The Hunger Games: Mockingjay-Part2. Segundo o TMZ, e tendo em conta que apenas faltavam sete dias de rodagem, a data de estreia do filme não deverá sofrer alterações.

Ator de cinema e também de teatro, Hoffman estreara-se na realização em 2010, com Jack Goes Boating.

Nascido em Rochester, no estado de Nova Iorque, a 23 de julho de 1967, formou-se em Artes Dramáticas. Estreou-se na representação aos 24 anos, num episódio da série televisiva Lei e Ordem.

Matinha uma relação com a figurinista Mimi O'Donnel, com quem tinha três filhos, de dez, sete e cinco anos.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Nuno Artur Silva

Notícias da frente da guerra

Passaram cem anos do fim da Primeira Guerra Mundial. Foi a data do Armistício assinado entre os Aliados e o Império Alemão e do cessar-fogo na Frente Ocidental. As hostilidades continuaram ainda em outras regiões. Duas décadas depois, começava a Segunda Guerra Mundial, "um conflito militar global (...) Marcado por um número significativo de ataques contra civis, incluindo o Holocausto e a única vez em que armas nucleares foram utilizadas em combate, foi o conflito mais letal da história da humanidade, resultando entre 50 e mais de 70 milhões de mortes" (Wikipédia).

Premium

nuno camarneiro

Uma aldeia no centro da cidade

Os vizinhos conhecem-se pelos nomes, cultivam hortas e jardins comunitários, trocam móveis a que já não dão uso, organizam almoços, jogos de futebol e até magustos, como aconteceu no sábado passado. Não estou a descrever uma aldeia do Minho ou da Beira Baixa, tampouco uma comunidade hippie perdida na serra da Lousã, tudo isto acontece em plena Lisboa, numa rua com escadinhas que pertence ao Bairro dos Anjos.