Filmes "blockbuster" a 4 euros no Saldanha Residence

Duas salas do antigo cinema Saldanha Residence, em Lisboa, reabrem na quinta-feira com um novo sistema de som, bilhetes mais baratos e com filmes que serão, à partida, sucessos de bilheteira, afirmou hoje à Lusa o exibidor Fernando Serranito.

Das quatro salas que encerraram em 2011, apenas duas reabrem esta semana, exibindo ambas o filme "O Hobbit: A desolação de Smaug", de Peter Jackson.

A reabertura das salas, agora rebatizadas @Cinema, dá-se com uma nova exibidora no mercado português, a Great Cinema, que pretende disponibilizar filmes "blockbuster", com um bilhete único de quatro euros, destinados a um público entre os 15 e os 35 anos.

O objetivo é "dar importância ao espetador acima de tudo", explicou Fernando Serranito, ligado ao cinema há mais de vinte anos, mas a estrear-se agora como exibidor.

Uma das salas estará equipada com 3D e com o sistema de som Dolby Atmos, inédito até agora em Portugal (está em cerca de 300 salas em todo mundo), que permitirá criar uma sensação de "imersão" no filme, explicou David Hernandez, da empresa Dolby, hoje em conferência de imprensa.

Apesar de ainda se ouvir o barulho da passagem das carruagens do metro, por debaixo do centro comercial que acolhe o @Cinema, a sala está equipada com colunas em todas as paredes, incluindo no teto, para criar esse "ambiente imersivo" nos filmes exibidos.

Fernando Serranito referiu ainda que os filmes terão uma grande rotatividade naquelas salas - permanência de uma semana -, embora não tenha indicado que expetativa de receita de bilheteira e número de espetadores pretende atingir.

A reabertura das outras duas salas, a inclusão do mais sistema Dolby Atmos e a expansão da exibidora dependerá do sucesso do lançamento agora do @Cinema, explicou.

Fernando Serranito defendeu que "o preço por si só não traz mais pessoas ao cinema": "Queremos o cinema como experiência. Há muita gente que gosta de cinema e que não vai por insatisfação. A qualidade em termos de som e imagem que vão ter, não há memória em Portugal".

A reabertura desta sala acontece semanas depois do encerramento do cinema King e do anúncio da reabertura, na primavera de 2014, do Cinema Ideal, no espaço do mais antigo cinema de Lisboa.

O mapa das exibições de cinema em Portugal sofreu uma transformação logo no início deste ano quando a exibidora Socorama anunciou falência e o encerramento de várias salas de cinema, em particular nas que detinha em centros comerciais.

Em Lisboa, a Socorama encerrou ainda o cinema Londres, um dos poucos que ainda funcionava na capital fora de um centro comercial.

Algumas das salas espalhadas pelo país então detidas pela Socorama - restam-lhe agora 40 - têm estado a ser reabertas pela exibidora brasileira Grupo Orient.

Os dados mais recentes da exibição em Portugal, compilados pelo Instituto do Cinema e Audiovisual, indicam que em outubro as salas de cinema registaram uma quebra superior a 140.000 espetadores e a 650.000 euros de receita, comparando com outubro de 2012.

No total, nos dez meses de 2013, registaram-se dez milhões de idas ao cinema e 52,4 milhões de euros.

No mesmo período de 2012, as salas de cinema tinham registado 11,1 milhões de espetadores e 60 milhões de euros de receita de bilheteira.

Exclusivos