'Estrelas de cinema, grandes realizadores e filmes'

John Malkovich e Maria Medeiros serão homenageados na edição deste ano do Lisbon and Estoril Film Festival, que trará ainda a Portugal nomes como o dramaturgo Peter Handke e o músico Arto Lindsay. Paulo Branco anunciou hoje algumas das novidades da programação do LEFEST.

O fundador da WikiLeaks, o jornalista australiano Julian Assange, está a "colaborar diretamente" com o Lisbon and Estoril Film Festival, e embora não possa estar presente, uma vez que se encontra desde 2012 exilado na embaixada do Equador em Londres, Paulo Branco garante a sua participação, "ainda não sabemos em que moldes", no simpósio "Ficção e Realidade. Para Além do Big Brother", que irá decorrer a par do festival, nos dias 14, 15 e 16 de novembro, no Centro Cultural de Belém em Lisboa.

As relações entre ficção e realidade, a constante exposição da vida privada e a vigilância a que estamos sujeitos, e a forma como a arte resiste neste contexto são alguns dos temas a explorar neste simpósio internacional que, segundo Paulo Branco, vai contar também com a colaboração do linguísta e filósofo Noam Chomsky assim como de alguns dos colaboradores de Edward Snowden (ex-analista da NSA, a Agência de Segurança Nacional norte-americana).

O congresso, organizado em colaboração com a La Quadrature du Net, trará a Lisboa personalidades como o jornalista espanhol Juan Luis Cebrián (ex-diretor do El País), o escritor italiano Roberto Saviano (autor de Gomorra) ou o juiz espanhol Baltasar Garzón (que investigou alguns dos casos mais mediáticos da justiça espanhola dos últimos anos).

Além deste simpósio, Paulo Branco anunciou hoje, em conferência de imprensa, outras novidades da edição deste ano do LEFEST, que vai decorrer entrre 7 e 16 d enovembro, a começar pela ante-estreia em Portugal do filme Variações de Casanova, de Michael Sturminger, com John Malkovich. Esta coprodução portuguesa, francesa, austríaca e alemã foi filmada inteiramente em Portugal e baseia-se na obra História da minha Vida, de Giacomo Casanova. O filme será apresentado 8 de novembro no grande auditório da Fundação Calouste Gulbenkian.

O ator, realizador e produtor John Malkovich estará no festival, até porque será alvo de uma homenagem, com a exibição de vários filmes marcantes na sua carreira.

O festival irá ainda homenagear a atriz portuguesa Maria de Medeiros. "É um vulto único na atividade cinematográfica pela projeção que teve no filme "Pulp Fiction"[de Tarantino] mas nunca abandonou o cinema português", sublinhou o produtor.

No Centro de Congressos do Estoril será inaugurada a 7 de novembro a exposição "Here & Now - David Lynch e Jean-Michel Alberola", que mostra a faceta de artista plástico do realizador de Twin Peaks, nomeadamente algumas obras feitas em colaboração com o artista francês J.M. Alberola, que, por seu lado, estará no festival para mostrar a sua menos conhecida obra cinematográfica.

A presença de David Lynch no LEFEST ainda não está confirmada. Mas já se sabe o festival irá exibir o seu Duran Duran: Unstaged, documentário sobre a banda inglesa.

Uma das novidades do LEFFEST é a apresentação, pela primeira vez, de uma peça de teatro - Os Belos dias de Aranjuez, de Peter Handke, escritor que estará igualmente estar no certame - encenada por Tiago Guedes, e com apresentação prevista para o CCB a 12 de novembro. Paulo Branco sublinha que a interligação entre o cinema e as outras artes sempre foi uma das linmhas orientadoras da programação do festival, desde a sua primeira edição, em 2007, e isso voltará a acontecer este ano.

O músico Arto Lidnsay, que já fez parte do júri do certame, vai protagonizar, com a própria banda, o concerto de encerramento da oitava edição, a 16 de novembro, também no CCB.

A restante programação do LEFFEST, com mais nomes do cinema e de outras artes, e do júri da competição do festival, será anunciada mais próximo do festival, segundo Paulo Branco: "Haverá estrelas de cinema, grandes realizadores e muitos filmes, é só o que posso dizer".

"Esta edição é de uma enorme responsabilidade perante as instituições que apoiam, porque é muito ambiciosa. Um festival só se justifica se trouxer uma mais-valia para o público e para o país", disse Paulo Branco, assinalando o apoio dos principais patrocinadores, nomeadamente os municípios de Lisboa e de Cascais. "Não esquecemos que grande parte das nossas verbas vem do turismo e uma das nossas responsabilidades é promover esta região do país".

Exclusivos