Da Vinci, Van Gogh e Warhol no Louvre de Abu Dhabi

Obras de arte de artistas como Leonardo Da Vinci, Van Gogh, Claude Monet, Henri Matisse e Andy Warhol estarão entre as 300 peças que serão emprestadas por 13 instituições francesas para a abertura do museu Louvre de Abu Dhabi, avançou fonte do emirado no domingo, dia 12.

O que ficou por dizer é a data de abertura do museu, uma obra do arquiteto francês Jean Nouvel, mas, segundo a AFP, dezembro de 2015 mantém-se como o objetivo.

As 300 obras em causa provêm de 13 instituições francesas, incluindo o Museu do Louvre, em Paris e serão emprestadas "ao lado da coleção do museu para o ano da sua abertura". Deverão completar a coleção, "ilustrando a vocação universal do Louvre Abu Dhabi", segundo o emirado.

Alguns dos quadros que farão a viagem de França para o Golfo Pérsico são já conhecidos. "La Belle Ferronnière" de Léonard de Vinci e um coluna do rei Ramsés II, pertencentes ao acervo do Louvre, são dois deles. Outros são um auto-retrato de Vincent Van Gogh que se encontra no Museu de Orsay e "La Nature Mort ao Magnolia", de Henri Matisse, pertencente ao Centro Pompidou, que também cede "Big Electric Chair" de Andy Warhol.

O acordo entre Paris e Abu Dhabi foi assinado em 2007 e tem a duração de 30 anos durante os quais a Agência France-Museu do Louvre nos Emirados põe de pé a obra, com um valor total de mil milhões de euros.

Está em construção um edifício que albergará as peças, assinado pelo arquiteto francês Jean Nouvel, que deverá custar 500 milhões de euros. A obra atrasou-se porque foi alvo de uma auditoria que pretendia avaliar se existia derrapagem financeira.

O futuro museu está a ser construído junto ao mar, na ilha de Saadiyat. tem 64 mil metros quadrados, 6 mil dos quais para coleções permanentes e 2 mil para temporárias.

Assinalando os avanços nos trabalhos, está prevista uma mostra de peças da coleção permanente dos emirados, assim como da maquete do edifício que está a erguer-se na ilha de Abu Dhabi, para a primavera, em Paris, com o tema "O nascimento de um museu".

O acordo para o empréstimo destas 300 obras é de 10 anos. Fonte citada pela AFP garante que o Emirados Árabes Unidos não censuram a nudez nem qualquer símbolo religioso. "Nenhuma obra foi recusada", disse, lembrando que foram os próprios emirados a comprar uma tora yemenite (judaica), uma estátua hindu, um buda e peças africanas.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG