'A Casa de mi Padre': Will Ferrell numa aventura mexicana

Will Ferrell, Gael García Bernal e Diego Luna protagonizam a comédia "A Casa de Mi Padre", de Matt Piedmont, que já chegou às salas.

Misto de paródia às telenovelas mexicanas com ambientes próprios do western spaghetti e de filmes de ação dos anos 70 de baixo orçamento, A Casa de Mi Padre, primeira longa-metragem de Matt Piedmmont, é uma das comédias mais surreais que podemos encontrar hoje nos cinemas. Chegou esta semana às salas portuguesas.

O protagonista é Will Ferrell e é precisamente a sua interpretação gloriosa do rancheiro mexicano Armando Alvarez (todas as falas do ator são também em espanhol) que domina esta comédia, que conta ainda com as prestações de Gael García Bernal, Diego Luna ou Nick Offerman.

A Casa de Mi Padre é um filme de baixo orçamento, produzido pelo estúdio do próprio Will Ferrell, Gary Sanchez Productions (que mantém com o parceiro de trabalho Adam McKay), e que abraça o ridículo e o absurdo a todos os níveis. A história é exageradamente melodramática e parodia constantemente os lugares comuns das telenovelas latinas (mas, a certa altura, também os banhos de sangue de Scarface). A isto alia-se uma série de declarados cenários falsos e propositados erros no guião, onde a noção de continuidade não é nem ou pouco respeitada.

É essa assumida intenção de falhar até a nível técnico que faz de A Casa de Mi Padre não só uma comédia (quase) surreal, mas, acima de tudo, hilariante. Ao se desrespeitarem uma série de regras até formais, a forma como o filme se desenrola acaba por ser imprevisível. Porque, no final, não se leva minimamente a sério.

O projeto começou a ser desenvolvido há sensivelmente três anos, mas só no ano passado chegou a um número limitado de salas nos EUA (se compararmos com a maioria dos filmes protagonizados por Will Ferrell).

Mas foi a "paixão" de Will Ferrell pelas situações absurdas retratadas nas telenovelas que tornou possível A Casa de Mi Padre: "Adoro o quão a sério eles [atores das telenovelas mexicanas] se levam. E os penteados. Sempre imaginei que fosse hilariante e insano colocar-me num elenco só de latinos, mas comigo a interpretar também um latino. Além da piada do meu espanhol ser terrível", disse o ator à edição norte-americana da revista GQ no ano passado.

Armando Alvarez, o personagem a que dá corpo, é um rancheiro falhado que sempre viveu com o pai. Com o regresso do bem-sucedido irmão, Raúl (interpretado por Diego Luna) e depois da morte do pai, Alvarez acaba por se envolver com um dos mais perigosos traficantes de droga do México, Onza (Gael García Bernal).

Uma aventura mexicana que tanto tem de épico como de exagero, mas que é também por isso uma comédia invulgar.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG