Cinema grego em tom de tragédia

NÃO ME AMES, Alexandros Avranas

Já conhecíamos o cineasta grego Alexandros Avranas através de Miss Violence (2013), distinguido em Veneza com um Leão de Prata; nele se fazia o retrato de um pesadelo masculino/feminino que, além do mais, nos revelava uma grande atriz: Eleni Roussinou.

Agora, Roussinou reaparece sob a direção de Avranas num drama conjugal que se transfigura em tragédia. Tudo começa com um casal que estabelece um acordo com uma jovem no sentido de ela ser barriga de aluguer do seu primeiro filho...

Em boa verdade, os acontecimentos vão ultrapassar qualquer possível antecipação, emprestando a Não Me Ames a dimensão íntima e perturbante de uma parábola moral sobre a verdade, a fidelidade e o amor. Como se prova, as imagens estereotipadas da crise financeira não bastam para compreender o estado de espírito da sociedade grega.

Classificação: *** bom

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG