Cinema de Lua cheia

"As Boas Maneiras", dos brasileiros Marco Dutra e Juliana Rojas

Saudemos a distribuição cinematográfica que nos faz chegar filmes como este, desafiadores dos códigos de perceção. Com uma boa dose de ironia no título, As Boas Maneiras, dos brasileiros Marco Dutra e Juliana Rojas, é um objeto fílmico híbrido: começa por contemplar o desejo entre duas mulheres de classes sociais opostas, e acaba por se metamorfosear num sombrio conto fantástico, com uma criatura sobrenatural pelo meio...

A lenda do Lobisomem está bem viva no retrato urbano que, à semelhança desse "metade lobo metade homem", mistura uma delicada visão humana com a fantasia obscura.

O tom justo é assegurado tanto pela banda sonora de Guilherme e Gustavo Garbato, como pelo trabalho fotográfico de Rui Poças, que acompanham a frescura estilística do filme e da sua narrativa. Eis cinema de género bem nutrido e com sangue na guelra.

Classificação: *** (Bom)

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG