Centro de Arte de Ovar define programação

O Centro de Arte de Ovar definiu até março uma programação em que se inclui teatro, uma exposição da Gulbenkian e espetáculos por artistas como Noiserv, António Pinho Vargas, Diogo Infante e os bailarinos da Companhia Paulo Ribeiro.

O cartaz procura refletir aquilo que, ao longo de 2014, o vereador Alexandre Rosas define como uma estratégia de "mudança e crescimento na oferta cultural do município".

O arranque faz-se esta sexta-feira à noite com a atuação da Orquestra Filarmonia das Beiras com o grupo musical Danças Ocultas, que se dedica a explorar a musicalidade do acordeão diatónico (também conhecido como concertina).

Ainda em janeiro, há três outros espetáculos previstos: o do grupo Birds Are Indie, no dia 24; o recital de Diogo Infante com base no "Sermão de Santo António aos Peixes", dia 25; e o concerto do músico Noiserv, que a 31 apresentará em Ovar os temas do seu novo álbum, "Almost Visible Orchestra".

Fevereiro faz-se depois com mais teatro e música portuguesa, começando, no dia 14 por "Três dedos abaixo do joelho", em que a companhia de teatro Mundo Perfeito aborda o arquivo da censura exercida sobre o teatro durante o regime fascista. A interpretação é de Isabel Abreu e Gonçalo Waddington.

No dia 14 o palco volta a receber música, com a dupla Minta & Tape Junk, e no dia seguinte sucede-se o pianista António Pinho Vargas, para uma interpretação a solo de várias obras com a sua assinatura na composição.

O mês de março traz ao Centro de Arte novamente teatro e música, mas também dança e artes plásticas.

Para o dia 14 está programado o concerto do português Walter Benjamim, para apresentação dos temas do recente álbum "The imaginary life od Rosemary and me", e no dia 15 encena-se "As pupilas do senhor reitor", pela companhia Sol D'Alma.

A 22 de março é vez do espetáculo "JIM", pela companhia de dança de Paulo Ribeiro, e a 23 regressa a dramaturgia, com "Gato por Lebre", da Contacto.

Paralelamente à oferta de sala, o Centro de Arte de Ovar inaugura a 14 de março a exposição "O Palco na coleção do CAM", que, durante três meses, dará a conhecer obras selecionadas do Centro de Arte Moderna da Fundação Calouste Gulbenkian.

A mostra pode ser objeto de visita guiada às terças-feiras, quando reservada com antecedência mínima de uma semana.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG