Celebrar mito Cunhal ou reescrever a história do PCP?

O Quociente de Inteligência desta semana analisa o valor da obra artística, o pensamento teórico e o percurso político do ex-secretário-geral do PCP na véspera do dia em que se recorda o centenário de Álvaro Cunhal.

O texto, de João Céu e Silva, inclui depoimentos dos historiadores José Pacheco Pereira, Rui Ramos e Irene Flunser Pimentel, dos professores Francisco Louçã, Miguel Real, António Pedro Pita e Luís Costa Dias, do jornalista Joaquim Vieira e do editor Francisco Melo, bem como os dirigentes do PCP, Jerónimo de Sousa, Carlos Carvalhas e Domingos Abrantes.

Além desta avaliação sobre as várias facetas do líder comunista, é escolhido aquele que poderá ter sido o pior dia na vida de Álvaro Cunhal. O artigo pode ser lido na edição em papel ou no e-paper do DN.

Neste contexto, lançamos o debate aos leitores: As comemorações do centenário de Álvaro Cunhal celebram o mito ou reescrevem a história do PCP?

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG