CCB recebeu 740 propostas para programações até 2015

O Centro Cultural de Belém (CCB) recebeu um total de 740 projetos, na sequência do convite, lançado em fevereiro, para a apresentação de propostas de programação cultural a incluir no triénio 2013-2015.

De acordo com uma nota de imprensa do CCB hoje divulgada, depois do repto lançado aos agentes culturais portugueses, foram recebidas 252 propostas na área da música, 173 na área do teatro, 61 na área da dança, 31 no serviço educativo, 44 para projetos transversais de artes performativas e 14 na área do cinema.

Foram também recebidas 126 propostas para exposições, 29 para programas na área da literatura, cultura portuguesa e ciência, segundo o CCB.

As restantes 10 propostas enviadas incluem projetos desportivos, sociais e outros.

Ainda segundo o CCB, "foi já iniciada a análise das propostas, com vista à seleção das que possam ser consideradas na programação relativa ao triénio 2013-2015".

No final de fevereiro, o novo Conselho de Administração da Fundação Centro Cultural de Belém (FCCB) anunciava este programa inédito, esperando que, com a iniciativa, resultassem "contributos válidos para a programação das atividades" futuras.

Trata-se da primeira grande iniciativa no âmbito da programação daquele espaço cultural de Lisboa lançada por Vasco Graça Moura, nomeado em janeiro pela Secretaria de Estado da Cultura para liderar o CCB, em substituição de António Mega Ferreira.

A intenção do programa, avançavam, é passar a realizá-la todos os anos, "assumida como ação estruturante do diálogo com criadores, produtores, operadores e agentes culturais" do país.

O Conselho de Administração recordava que nos seus estatutos se determina como finalidade da instituição a "promoção da cultura, em particular da portuguesa", e também de "uma oferta cultural diversificada, permanente, atualizada e de alta qualidade".

O convite foi lançado aos criadores, produtores, operadores e agentes culturais portugueses.

Sem garantir, à partida, qualquer compromisso com os agentes que enviassem propostas, até posterior decisão, a FCCB pedia propostas sintéticas, "acompanhadas de uma estimativa de custos, indicação de eventuais patrocínios e previsões de financiamento, bem como de modalidades viáveis de coprodução nacional ou estrangeira e de circulação dentro e fora do país e previsões de calendário".

"As propostas cuja análise as qualifique, no entender do Conselho de Administração, para inclusão no plano trienal de atividades serão objeto de posterior negociação com os interessados, sempre sob reserva de aprovação desse plano pelo Conselho Diretivo da FCCB, nos termos estatutários", indicava a mesma nota.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG