Casa da Arquitetura mostra-se no estrangeiro

Antes de abrir nova sede a 17 de novembro, Casa da Arquitetura faz périplo no estrangeiro para se mostrar internacionalmente.

A cerca de dois meses da inauguração, a Casa da Arquitetura, em Matosinhos, iniciou no sábado um périplo por três cidades europeias para se dar a conhecer a nível internacional através de outros tantos exemplos da "melhor arquitetura portuguesa, mostrando a excelência nacional noutros contextos produtivos", explicou o arquiteto Nuno Sampaio, diretor executivo da Casa da Arquitetura - Centro Português de Arquitetura.

Depois de Carrilho da Graça, em França, no último sábado, segue-se na sexta-feira Manuel Aires Mateus, na Bélgica, na Faculdade de Arquitetura de Tournai, e, a 12 de outubro, Gonçalo Byrne e Pedro Sousa, em Itália, na Casa del Parco, em Jasolo, perto de Veneza.

Num investimento de cerca de dez milhões de euros, a Casa da Arquitetura - Centro Português de Arquitetura vai inaugurar as novas instalações em Matosinhos, ocupando o antigo edifício da Real Vinícola. Junho foi a primeira data avançada para a abertura mas, por motivos vários, acabou por ser atrasada, primeiro para outubro e agora finalmente para 17 de novembro. Para a inauguração, que se prolonga pelo fim de semana, foi pensada a exposição Poder: Arquitetura, comissariada por Jorge Carvalho, Pedro Bandeira e Ricardo Carvalho, na qual serão apresentados quarenta projetos que evidenciam oito tipo de poderes e a sua relação com a arquitetura.

Álvaro Siza Vieira, Eduardo Souto de Moura e Paulo Mendes da Rocha, os três prémios Pritzker de língua portuguesa, são alguns dos autores de projetos e maquetas que já se encontram no acervo da Casa, uma forte aposta da instituição. Mas serão acervos vivos, que serão tratados, catalogados e colocados à disposição do público, garante Nuno Sampaio. Para além do programa de abertura, com curadoria de Roberto Cremascoli, que se estenderá com debates até março, a Casa da Arquitetura tem já em preparação duas coleções: uma dedicada à arquitetura brasileira desde 1927 ao presente e outra dedicada à arquitetura portuguesa entre 1974 e 1999.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG